Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A altitude da vila de Willand, uma terra na cidade de Devon em Inglaterra, está a subir dois centímetros por ano, descobriram os cientistas da Universidade de Notthingham. As imagens de satélite reveladas por uma companhia subsidiada por aquele estabelecimento universitário, a Geomatic Ventures Limited, descobriu que Willand tem sofrido uma elevação pelo menos desde 2015, mas não sabem explicar porquê.

A descoberta foi possível depois de os investigadores terem o primeiro mapa nacional de movimentações de terra da Grã-Bretanha, que desvenda como é que a terra se mexe debaixo dos pés dos britânicos. Embora esta seja uma tecnologia inovadora, ninguém consegue entender o que está a motivar essa elevação. Andy Sowter, um dos cientistas envolvidos no projeto, explica ao The Telegraph que “normalmente vemos este tipo de levantamentos em lugares onde houve exploração mineira porque a água se infiltra no solo”.

Mas esse não pode ser o caso em Willand porque a Sociedade Geológica Britânica já informou que não há nem nunca houve exploração mineira nesta vila com menos de quatro mil pessoas, que só tem um bar, uma quinta e uma escola primária com 300 crianças. Por serem alterações pequenas, ninguém reparou na diferença de altitude na vila e é possível que a elevação nem sequer tenha provocado danos nas infraestruturas. No entanto, as imagens de satélite mostram que a região tem um formato elíptico com dois quilómetros de diâmetro.

Os cientistas acreditam que a resposta para este mistério está “em profundidade”, já que afeta não só as zonas rurais mas também as zonas urbanas na vila. É que “a vila inteira está a mexer-se”. “Acho mesmo que as autoridades deviam ir lá e investigar o que se está a passar”, defende o cientista. E insiste: “Se for um líquido a infiltrar-se no subsolo ou algum tipo de descarga de lixo, isso pode ser uma ameaça para o ambiente”. Certo é que “esta não é uma situação natural, portanto há algo sintomático a acontecer e é importante descobrir o quê”, sublinha Andy Sowter.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR