Um homem de 73 anos foi detido no Japão por ter mantido o filho deficiente numa espécie de jaula. O caso de cativeiro em Hyogo, Japão, durou mais de 20 anos. Yoshitane Yamasaki confessou ter trancado o filho desde os 16 anos porque tinha crises de violência.

O então jovem, atualmente com 42 anos, estava confinado a uma gaiola de madeira com cerca de um metro de altura, 90 centímetros de largura e 1,8 metros de comprimento, pelo que nem se conseguia colocar de pé. Lá dentro, um plástico cobria o chão e o homem estava sentado em absorvente higiénico para cães e nu da cintura para baixo.

De acordo com o jornal El País, Yamasaki garantiu que lavava o filho regularmente e que lhe dava de comer. As autoridades desconfiam que o pai o mantinha preso a maior parte do dia — especialmente quando não estava ninguém em casa — e tirava-o da “gaiola” para comer ou tomar banho.

Yamasaki explicou à polícia que temia que o filho fosse um incómodo para os vizinhos, que se queixavam várias vezes do barulho. A família decidiu então construir a “gaiola” para evitar que o rapaz batesse nas paredes ou causasse outros danos, escreve o jornal espanhol.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O filho foi hospitalizado em janeiro, logo após a descoberta. De acordo com os médicos, o homem sofre de problemas na coluna — devido ao facto de ter estado preso num espaço tão pequeno e durante tanto tempo — e está praticamente cego. A polícia japonesa está a investigar se estes problemas derivam da falta de condições a que esteve submetido durante todos estes anos.

As autoridades depararam-se com este cenário em janeiro, depois de o próprio pai ter revelado o que se passava com o filho enquanto pedia cuidados de saúde para a mulher nos serviços sociais. O caso só foi comunicado pelas autoridades locais à polícia mais de um mês depois da descoberta por parte dos serviços sociais, porque preferiram tentar convencer o idoso a internar o filho ou a procurar ajuda para cuidar do filho.