Pela primeira vez na história de Portugal, polícias e militares vão juntar-se para uma mega manifestação nacional na primeira quinzena de maio. Os sindicatos e associações das Forças Armadas e de Segurança estão a preparar aquela que será “a maior manifestação de sempre” do setor: a Assembleia da República e a residência oficial do Presidente da República serão os principais locais da concentração, que protesta contra o incumprimento da promessa de descongelar os escalões de milhares destes profissionais.

O Jornal Económico cita fonte próxima da organização para avançar que a manifestação deverá ser anunciada oficialmente numa conferência de imprensa conjunta na próxima terça-feira, dia 17 de abril, no Largo do Carmo, em Lisboa. “Estimamos que, pelo menos, 16 mil elementos das forças de segurança e militares poderão juntar-se ao protesto”, afirma a mesma fonte.

Polícias e militares entregaram, a 27 de março, uma carta a pedir o apoio de Marcelo Rebelo de Sousa nas negociações com o Governo. Os sindicatos querem que o Presidente da República pressione o Governo a cumprir a lei que está incluída no Orçamento do Estado para 2018 e que prevê o descongelamento das carreiras. De recordar que o Ministério da Defesa já garantiu que “os militares vão continuar a manter-se enquadrados na lei da Função Pública na contagem do tempo de serviço”.