Há mais um caso sarampo na região de Lisboa e Vale do Tejo, informou esta quinta-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS) em comunicado. O número total de casos confirmados de sarampo sobe assim para 108, sendo que 101 já estão curados. Tal significa que existem atualmente sete pessoas com sarampo, em Portugal.

Além dos casos confirmados, há ainda 18 que estão em investigação, de acordo com o mesmo comunicado da DGS, que adianta que a maioria dos casos tem ligação ao Hospital de Santo António, no Porto. Foram ainda já analisados 251 casos que se revelaram negativos.

O sarampo provocou 35 mortes no ano passado, incluindo uma em Portugal, só num conjunto de 50 países da região europeia, onde se registaram mais de 20 mil casos em 2017. No ano passado, Portugal teve dois surtos simultâneos de sarampo (num total de 29 casos), que chegaram a provocar a morte de uma jovem de 17 anos.

Para a Organização Mundial de Saúde, “cada nova pessoa afetada pelo sarampo na Europa relembra que crianças e adultos não vacinados, independentemente de onde vivam, continuam em risco de contrair a doença e de a passar a outros que possam ainda não estar vacinados”.

O sarampo é uma doença grave, para a qual existe vacina, contudo, o Centro Europeu de Controlo de Doenças estima que haja uma elevada incidência de casos em crianças menores de um ano de idade, que ainda são muito novas para receber a primeira dose da vacina. Daí que reforce a importância de todos os outros grupos estarem vacinados de forma a que não apanhem nem transmitam a doença. Segundo os dados de 2017, mais de 87% das pessoas que contraíram sarampo não estavam vacinadas.