Esta sexta-feira nem sequer tinha trazido as melhores notícias para João Sousa, português que ocupa atualmente o 70.º lugar do ranking mundial e que se tinha qualificado para os quartos de final do Open de Marraquexe: por causa da chuva, o encontro teve de ser adiado para este sábado e o vimaranense foi obrigado a desistir do Torneio de Monte Carlo, para o qual não teve entrada direta no quadro principal e teria de passar pelas qualificações. No entanto, também poderá ser um momento importante na carreira do tenista de 29 anos.

Após vencer o georgiano Nikoloz Basilashvili, 86.º do mundo, por 6-2, 4-6 e 6-1 nos quartos de final em Marraquexe, João Sousa apurou-se para as meias-finais, onde vai agora defrontar o espanhol Pablo Andújar (que venceu o russo Alexey Vatutin, por 6-4, 5-7 e 6-3) para tentar alcançar a sua décima final no ATP. Em paralelo, a primeira meia-final do português este ano, no início da temporada em terra batida, foi também a sua 15.ª da carreira.

Antes de derrotar Basilashvili este sábado, João Sousa tinha ganho no torneio marroquino ao bósnio Mirza Basic (6-3, 3-6 e 6-4) e ao espanhol Pedro Martínez (7-5 e 7-5).

De referir que, desde 2013, o português já alcançou nove finais de torneios ATP 250 (quatro em terra batida), somando até ao momento dois títulos em Kuala Lumpur (2013) e Valencia (2015).