O Presidente da República expressou este domingo aos dois oficiais portugueses mais graduados nas missões da União Europeia e das Nações Unidas no Mali a sua solidariedade nesta “importante missão internacional pela paz e contra o terrorismo e o radicalismo”.

A mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa surgiu na sequência dos graves incidentes das últimas horas no norte do Mali, tendo manifestado enorme consternação face ao ataque com morteiros e um veículo suicida em Tombuctu, no sábado, contra as forças da MINUSMA (United Nations Multidimensional Integrated Stabilization Mission in Mali), provocando pelo menos um morto e vários feridos.

O ataque atribuído aos jihadistas provocou um morto na força de capacetes azuis das Nações Unidas e dez feridos entre os militares franceses. Cinco estão em estado grave. O ataque ainda não foi reivindicado, mas uma fonte oficial citada pela Bloomberg disse aos jornalistas no Mali que os carros usados estavam disfarçados como veículos do MINUSMA e veículos militares do Mali.

“Envio, em meu nome e em nome do povo português, as mais sinceras condolências e os desejos de rápidas melhoras a todos os feridos”, diz uma das mensagens do Chefe Supremo das Forças Armadas portuguesas.

Marcelo Rebelo de Sousa transmitiu também toda a solidariedade e apoio de Portugal para com esta missão, cuja presença no Mali tem sido de “extrema importância para a estabilização e pacificação” daquele país africano. As forças portuguesas no país africano foram também alvo de um ataques, nas últimas semanas, mas sem registo de feridos graves.

O Presidente da República aproveitou, ainda, para felicitar as tropas portuguesas pelo desempenho profissional exemplar no contexto particularmente exigente.