Emprego

Emprego no Norte supera melhor dos resultados de 1999 a 2016

O emprego no Norte do país apresentou os seus melhores resultados no período entre 1999 e 2016, "impulsionado sobretudo pela indústria transformadora".

Autor
  • Agência Lusa

O emprego na Região Norte cresceu 3,2%, em termos homólogos, no 4.º trimestre de 2017, valor que supera “o melhor dos resultados dos anos de 1999 a 2016”, conclui o relatório Norte Conjuntura divulgado esta segunda-feira.

“A população empregada residente no Norte do país aumentou em 3,2% face ao período homólogo de 2016 (o equivalente a mais cerca de 52 mil pessoas empregadas), depois de no trimestre anterior ter crescido 3,5%, também em termos homólogos”, indica o relatório trimestral que identifica as tendências que marcam a evolução económica, a curto prazo, no território e a que a Lusa teve acesso.

Elaborado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), o documento refere ainda que este resultado, “impulsionado sobretudo pela indústria transformadora”, superou “o melhor dos resultados do período de 1999 a 2016”, apesar de ter sido o menor do ano passado.

O relatório destaca ainda “o contributo do comércio, com mais cerca de nove mil pessoas empregadas do que há um ano (variação homóloga de 3,9%)” e, em sentido contrário, a descida no setor primário, com menos 11 mil pessoas empregadas do que um ano antes (variação homóloga de -10,9%).

Por sub-regiões, o Cávado registou, em termos homólogos, o maior crescimento do número de ativos a descontar para a Segurança Social e a “Área Metropolitana do Porto, dado o seu peso relativo, continua a assegurar um contributo que explica cerca de metade do crescimento observado em toda a região do Norte”.

No 4.º trimestre de 2017, a taxa de desemprego na região voltou a cifrar-se em 9,3% (170 mil pessoas), “igualando o valor do trimestre imediatamente anterior e ficando abaixo do registo do trimestre homólogo de 2016 (11,5%)”, e salário médio mensal líquido dos trabalhadores por conta de outrem cifrou-se em 798 euros, observando, em termos homólogos, um crescimento real de 1,3%.

Também nos últimos três meses do ano, o valor das mercadorias exportadas por empresas com sede no Norte registou “uma aceleração do ritmo de crescimento”, a contrariar com o abrandamento observado nos dois trimestres anteriores. Esta aceleração, explica a CCDRN, foi motivada pelo comportamento das exportações para a União Europeia, as quais observaram uma variação homóloga nominal de 7,8% (acelerando face ao resultado de 3,4% no trimestre precedente).

Por produtos, o “principal contributo”, em termos homólogos, para este crescimento foi, tal como no trimestre anterior, assegurado pela evolução das exportações do grupo “veículos automóveis, tratores, ciclos e outros veículos terrestres, suas partes e acessórios”, refere o relatório.

“Merecem também destaque os contributos assegurados pelas exportações de instrumentos de precisão (incluindo aparelhos de ótica, de fotografia e cinema, de medida, de controlo e médico-cirúrgicos) e de ferro fundido, ferro e aço”, acrescenta.

O documento analisa, ainda, outros indicadores com comportamento favorável no último trimestre de 2017, nomeadamente, o consumo privado e a atividade turística, com um aumento do número de dormidas e do número de hóspedes. O número de dormidas cresceu, no Norte, 10,8% em termos homólogos (contra 4,6% no trimestre anterior) e o número de hóspedes aumentou 11,0% (compara com 5,0% no trimestre precedente).

A capacidade de alojamento dos estabelecimentos hoteleiros da região cresceu 4,8%, em termos homólogos (compara com 3,4% no trimestre anterior) e o emprego no ramo de atividade “alojamento, restauração e similares” registou um acréscimo de 3,5% em termos homólogos (em forte desaceleração face aos 29,1% apurados no trimestre precedente).

Já no recurso ao crédito, no final de 2017 o valor total concedido às famílias e às sociedades não financeiras do Norte registava uma variação homóloga de -0,9% (resultado que compara com -1,7% no final do trimestre anterior).

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Religião

O Dia Mundial da Religião

Donizete Rodrigues

O Dia Mundial da Religião é um momento ecuménico para promover a convivência, o interconhecimento e o diálogo inter-religioso, buscando um futuro livre de preconceito, discriminação e intolerância.

PSD

Ao centro, o PSD não ganhará eleições /premium

João Marques de Almeida

Rio, que não perde uma ocasião para evocar Sá Carneiro, não aprendeu a sua principal lição: o PSD só chega ao poder quando lidera uma alternativa aos socialistas. Não basta esperar pelo fracasso do PS

Futebol

Sobre o futuro próximo de José Mourinho

António Bento

No frio e previsivelmente longo Inverno de 2018-2019 a pele de José Mourinho não é boa de se vestir, como se vê por uma parte significativa das suas declarações à imprensa desde que foi despedido.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)