Serviço Nacional de Saúde

Bastonária inicia reuniões por todo o país sobre falta de nutricionistas no SNS

289

Bastonária da Ordem dos Nutricionistas considera que o número de nutricionistas no SNS é "manifestamente insuficiente", contando apenas com 416, ficando muito "aquém do necessário".

Manuel Fernando Araújo/LUSA

A bastonária da Ordem dos Nutricionistas inicia esta terça-feira em Lisboa uma série de reuniões que a vai levar a vários pontos do país em que pretende alertar para a falta destes profissionais no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Alexandra Bento disse à agência Lusa que este conjunto de reuniões vai decorrer até novembro, para “conhecer a realidade profissional dos nutricionistas”, tendo escolhido como tema os “nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde”, referindo desde já, à Lusa, que são escassos.

Alexandra Bento fará visitas a vários centros hospitalares e ao agrupamento de centros de Saúde da Arrábida, em Setúbal, justificando que não poderia visitar “grandes centros de Saúde, porque não têm nutricionistas”, o que lamenta. As visitas terão início na zona de Lisboa e Vale do Tejo e continuarão nas regiões norte e centro, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira, num total de 40 instituições.

Para a bastonária, é oportuno iniciar as visitas em Lisboa, uma vez que existem “menos nutricionistas numa zona geográfica densamente povoada”, o que se torna “difícil de compreender”, destacando que, nos cuidados de saúde primários, existem apenas sete profissionais para mais de três milhões de utentes.

Alexandra Bento acrescentou que o Governo tem repetido “incessantemente” que há hoje mais 8.480 profissionais no SNS do que em 2015, mas nenhum é nutricionista.

As 40 vagas que estão previstas no Orçamento do Estado, são aguardadas “com expectativa”, sendo que no ano passado “esteve previsto abrir concurso para 55 nutricionistas e não abriu por ter sido chumbado pelo Ministério das Finanças”.

Alexandra Bento considera que o número de nutricionistas no SNS é “manifestamente insuficiente”, contando apenas com 416, ficando muito “aquém do necessário”. A bastonária admite que, no decorrer das visitas, vai encontrar algum descontentamento, que procurará solucionar após o levantamento.

O levantamento da realidade profissional dos nutricionistas que pretende dar a conhecer, de forma aprofundada, o seu contexto real de trabalho, inicia-se com uma reunião com o presidente da Administração regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estado Social

A Maternidade já pode fechar? /premium

Rui Ramos
669

Quem quer manter aberta a Maternidade Alfredo da Costa deve fazer tudo para eleger um governo das direitas. Só então, voltará a maternidade a ter os defensores que teve há uns anos. 

Serviço Nacional de Saúde

Gerir em saúde

Diogo Prates
135

As novas gerações, não nos perdoarão se não lhes disponibilizarmos as mesmas vantagens que o Serviço Nacional de Saúde, apesar de todas as suas limitações, nos trouxe a nós.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)