477kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Do remate de Otávio à jogada de Gelson: o resumo de 45 minutos de clássico (sem remates enquadrados)

Este artigo tem mais de 4 anos

A permanência de Otávio no onze foi uma das surpresas do FC Porto em Alvalade e foi dos pés do médio que saiu a grande oportunidade de uma primeira parte sem nenhum remate enquadrado.

i

AFP/Getty Images

AFP/Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O último clássico entre Sporting e FC Porto foi mesmo uma exceção à regra: no Dragão, Marcano adiantou os azuis e brancos, Rafael Leão empatou em cima do intervalo e houve mais oportunidades para visar as balizas contrárias. Esta noite em Alvalade, recuámos aos três primeiros duelos entre leões e dragões, sem golos (nem remates enquadrados) e com raras oportunidades.

Assim, o único lance que deu sensação de golo acabou por vir dos pés de Otávio, médio ofensivo que foi titular na Luz e voltou agora a repetir o lugar no onze: aos 19′, o brasileiro recebeu a bola à entrada da área e rematou forte, mas ligeiramente ao lado da baliza de Rui Patrício que, tal como Casillas, continua sem fazer sequer uma defesa.

Battaglia, aos 33′, teve o segundo remate muito, muito por cima do Sporting (o primeiro tinha sido de Bruno Fernandes), mas o lance acaboi por ficar “gravado” mais pelo choque entre Casillas e Marcano do que propriamente pelo eventual perigo que levou à baliza dos azuis e brancos. O central ficou combalido, esteve a ser assistido mas recuperou e voltou ao jogo.

Perto do intervalo de um jogo onde o FC Porto foi superior a nível de posse, circulação e, sobretudo, recuperação de segundas bolas, Gelson Martins protagonizou a melhor jogada do conjunto de Jorge Jesus mas, depois de uma grande finta sobre Alex Telles, cruzou rasteiro para uma zona onde não estava ninguém para finalizar.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.