Sindri Thor Stefansson estava detido poque era suspeito de ter roubado 600 computadores mineiros de bitcoin na Islândia, mas conseguiu fugir da prisão onde estava. No voo que terá apanhado depois para a Suécia, encontrava-se a primeira-ministra islandesa, Katrín Jakobsdóttir, conta o The Guardian. Seguia para um encontro com o primeiro-ministro indiano, em Estocolmo.

O fugitivo conseguiu sair da prisão de Sogn, no sul da Islândia, pela janela e apanhou o avião para a Suécia no aeroporto internacional de Keflavik, a 95 quilómetros da prisão. As autoridades avançaram entretanto que Stefansson terá viajado com um passaporte falso, mas foi identificado pelas câmaras de videovigilância. Também teve a ajuda de um cúmplice.

A prisão onde se encontrava era de segurança reduzida: não tinha grades e os presos têm acesso a telefones e à Internet. Os guardas não deram pela falta de Stefansson a tempo e só deram conta de que estava desaparecido já ele tinha apanado o voo para a Suécia. Estava naquela prisão há 11 dias, apesar de estar detido desde fevereiro. Já foi emitido um mandato de captura internacional, mas a polícia sueca diz ainda não ter tido conhecimento.

Stefansson foi uma das 11 pessoas detidas por suspeita de roubo do equipamento de mineração de bitcoins. A Islândia é um dos países mais cobiçados para a produção de criptomoedas, porque as temperaturas frias e a abundância de energia renovável fazem com que seja mais viável a manutenção destes super-computadores.

Os proprietários destes equipamentos oferecem um reembolso de 60 mil dólares a quem conseguir levar as autoridades aos computadores.