A vila de Almodôvar, no Alentejo, vai “regressar” à Idade Média, entre sexta-feira e domingo, com a 11.ª edição do Mercado Medieval, que o município volta a realizar após três anos de interregno.

O Mercado Medieval, cujas 10 primeiras edições decorreram entre 2005 e 2014, regressa este ano, depois de ter dado lugar a três edições do ALMARTE — Festival Internacional de Artes na Rua, entre 2015 e 2017, explica a Câmara de Almodôvar, no distrito de Beja.

Segundo o presidente do município, António Bota, foi decidido “relançar” o Mercado Medieval, após ter terminado o apoio comunitário que permitiu a realização do ALMARTE nos últimos três anos.

O Mercado Medieval de Almodôvar vai abrir a época de eventos do género deste ano em Portugal, referiu o autarca, explicando que a iniciativa pretende “atrair turistas” para dinamizar o comércio, a hotelaria, a restauração e a economia do concelho alentejano.

O município “alargou a estratégia de comunicação” do Mercado Medieval, através da distribuição de folhetos promocionais em português, espanhol e inglês, para “abranger o mercado espanhol” junto à fronteira com o Alentejo e turistas estrangeiros em visita por Portugal.

Através do mercado, a realizar no centro histórico de Almodôvar, que abrange a Praça da República e ruas adjacentes, a vila vai “regressar” ao ano de 1285, quando lhe foi outorgada, por D. Dinis, a Carta de Foral.

Com esta “viagem ao passado”, a vila vai celebrar os 733 anos da atribuição do foral, através do contacto com personagens, ambientes e vivências típicas da Idade Média e “trazendo até ao presente gostos, cores, sons e danças do passado”, explica o município.

No mercado, que vai decorrer na sexta-feira, das 16h00 às 00h00, no sábado, das 12h00 à 1h00, e no domingo, das 12h00 às 00h00, os visitantes vão poder comprar produtos a mercadores e artesãos, deliciar-se com comeres e beberes e assistir a espetáculos e recriações históricas.

Um cortejo régio pelas ruas do burgo, visita do meirinho, do almotacem e do alvazil às tendas dos mercadores, ataque ao burgo por uma mesnada castelhana, encontro de trovadores com cantigas de amigo e de maldizer, melodias mozárabes e danças mouriscas e “A lenda da Vila Negra” em teatro de fogo são alguns dos espetáculos e recriações previstos para sexta-feira.

No sábado, haverá mais espetáculos e recriações, como arruadas musicais, cortejo e leitura da carta régia pelas ruas do burgo, provas de destreza e perícia entre infanções, torneio de armas a cavalo, bailias e momices, danças mouras nos terreiros, ceia medieval com arraial, falcoaria e danças palacianas, “diabruras dos truões em acrobacias levadas da breca”, “A lenda da Vila Negra” em teatro de fogo e melodias de trovadores com danças de fogo.

Um novo cortejo régio pelas ruas do burgo, poesia trovadoresca com cantigas de amigo e de amor, torneio de armas a cavalo, músicas da berberia pelos mouros do Garb Al’Andaluz, “saborosos” comeres da dieta mediterrânica e “A lenda da Vila Negra” em teatro de fogo são alguns dos espetáculos e recriações previstos para domingo, o último dia do mercado.