O preço dos serviços turísticos aumentou 2,5% no primeiro trimestre do ano, com as dormidas em hotéis a serem determinantes para o encarecimento da oferta turística em Cabo Verde, revelam dados divulgados esta quarta-feira pelo INECV.

No primeiro trimestre de 2018, a taxa de variação homóloga registada foi de 2,5%, aumentando 0,2 pontos percentuais, enquanto a variação trimestral foi de 0,9%, inferior em 1,0 pontos percentuais ao valor registado no trimestre anterior (1,9%), segundo o Índice de Preços Turísticos (IPT), divulgado neste dia pelo Instituto Nacional de Estatística (INECV).

A categoria “hotéis, cafés e restaurantes” apresentou uma variação homóloga de 2,5%, 0,2 pontos percentuais acima do que no trimestre anterior, contribuindo em 2,48 pontos percentuais para a variação do total do índice.

O movimento dos preços das dormidas em hotéis (com uma contribuição 2,04 pontos percentuais foi “completamente determinante” para o comportamento do IPT total, segundo o INECV, que assinala também “contribuições positivas, mas pouco intensas” das categorias “restaurantes” (0,36 pontos percentuais), “cafés, bares e similares” (0,02 pontos percentuais) e “aldeamentos turísticos” (0,09 pontos percentuais).

Três outras componentes do IPT apresentaram contribuições de sentido oposto embora praticamente nulas: hotéis-apartamentos (-0,02 pontos percentuais), residenciais e pensões (ambas com -0.01 pontos percentuais), segundo o INECV.

As ilhas do Sal e Boavista dominaram “fortemente o movimento da taxa de variação”, tendo contribuído para o IPT total com aumentos homólogos de 0,6 pontos percentuais e 2,1 pontos percentuais, respetivamente. A atividade turística nestas ilhas corresponde a cerca de 92% da atividade a nível nacional.

As ilhas de S. Antão e Santiago registaram um comportamento de quebra no nível dos preços face ao trimestre anterior, enquanto São Vicente apresentou uma contribuição “marginalmente positiva”.