O ator James Franco completa esta quinta-feira 40 anos de vida, um aniversário redondo que, recorda o El País, está assombrado pelo escândalo de assédio sexual. Na gala dos Globos de Ouro deste ano, Franco foi visto a usar o pin do movimento “Time’s Up”, em solidariedade com as vítimas de assédio em Hollywood, ao mesmo tempo que era duramente criticado nas redes sociais, acusado de comportamento inapropriado e abusivo. Algumas mulheres insurgiram-se publicamente contra o ator, relatando episódios vividos na primeira pessoa, associando-o a um escândalo sem precedentes na indústria, numa altura em que Franco ganhava força para eventualmente ser nomeado aos Óscares pelo filme “Um Desastre de Artista”.

Belo pin Time’s Up, James Franco. Lembras-te quando empurraste a minha cabeça para baixo, para dentro do carro, na direção do teu pénis exposto; ou daquela vez que disseste à minha amiga para ir ao teu hotel quando ela tinha 17 anos? Depois de teres sido apanhado a fazer o mesmo com outra pessoa de 17 anos?”, escreveu Violet Paley, que acusou o ator de a ter tentado forçar a fazer sexo oral.

O escândalo em questão foi conhecido um dia antes de terminar o prazo para votar nos prémios da Academia — talvez por isso a candidatura nunca se tenha materializado, tendo o filme vencido apenas na categoria de “Melhor Guião Adaptado”. Pouco depois dos Globos de Ouro, cinco mulheres contavam ao Los Angeles Times episódios vividos com o ator, acusando-o de ter agido de maneira inapropriada.

O jornal já citado relembra ainda que, desde que o escândalo rebentou, James Franco tem sido particularmente discreto e não voltou a falar aos média sobre o assunto.