Willow, o último corgi da rainha Isabel II, morreu aos 14 anos, avança o The Daily Mail. O fiel companheiro da monarca — que desde muito cedo se fez acompanhar por esta raça de cães — terá sido eutanasiado no último domingo, no Castelo de Windsor, na sequência de um cancro. O animal de estimação da rainha, o último descendente da cadela corgi que lhe foi oferecida pelo pai no 18º aniversário, foi abatido a mando da rainha, que não queria que Willow sofresse mais. O relato da morte do último companheiro de quatro patas da rainha não foi, por enquanto, confirmado pelo Palácio de Buckingham.

Desde 2015 que era conhecido o desejo da rainha em não ter mais animais de estimação. À data, Isabel II recusou os dois cães oferecidos pela neta, a princesa Beatriz, por receio de tropeçar num dos animais e magoar-se. Ao longo de 80 anos, Isabel II teve mais de 30 cães. Willow — que apareceu no vídeo promocional do Jogos Olímpicos de 2012 ao lado de James Bond, personagem interpretada por Daniel Craig — pertencia à 14.ª geração de descendentes de Susan, o corgi oferecido pelo pai, Jorge VI. No passado, a rainha chegou a ter oito cães ao mesmo tempo.

Fim de uma era: A rainha de Inglaterra não quer mais cães

A despedida de Willow marca o fim de uma imagem tradicional — a rainha a caminhar rodeada de vários cães da raça corgi que, exemplarmente educados, seguiram sempre os passos da dona.