Portugal respondeu positivamente, em 2017, a 500 pedidos de asilo, do total de 955 que recebeu, sendo quase metade (225) de pessoas oriundas da Síria, segundo dados divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat.

Com uma taxa de 52% de respostas positivas em primeira instância, Portugal está acima da média da União Europeia (UE) que, em 973.330 pedidos, despachou favoravelmente 441.880 (39%). Em Portugal, os sírios foram os principais beneficiários da concessão de asilo (255 pessoas — 45% do total), seguindo-se eritreus (85 pessoas — 17%) e ucranianos (45 pessoas — 9%).

Na média da UE, a maior parte dos asilos foram concedidos a 175.855 pessoas oriundas da Síria (33%), seguindo-se 100.705 nacionais do Afeganistão (19%) e, em terceiro lugar, 64.270 do Iraque (12%).

A Alemanha foi, no ano passado, o país que maior número de pedidos despachou favoravelmente (325.400), seguida da França (40.600), da Itália (35.100), da Áustria (34 mil) e da Suécia (31.200). No fundo da tabela estão a Eslováquia (60), Estónia (95), República Checa (145), Eslovénia (150) e Croácia (170).