O Metro do Porto está a ameaçar cortar a circulação de todas as linhas durante a próxima semana na sequência da redução do número de veículos disponíveis à conta de uma greve da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF), está a avançar o Jornal de Notícias. O plano é cortar a linha do aeroporto logo na segunda-feira e depois suspender as linhas de Gondomar e Matosinhos ao logo da semana. A circulação pode ficar reduzida apenas à linha do Dragão.

De acordo com as informações prestadas pelo Metro do Porto, a linha de Fânzeres já está com tempos de espera superiores a 35 minutos, que simboliza o dobro do tempo de espera em circunstâncias normais. Aliás, são os percursos mais longos aqueles onde os tempos de espera estão a ser muito maiores do que o normal. Estes são efeitos de uma greve de três horas por turno que tem paralisado a EMEF. Os funcionários estão a pedir um aumento de 25 euros no salário e um aumento do valor do subsídio de turno, que pretendem que seja igual aos praticados pela Comboios de Portugal.

Como escreve o Jornal de Notícias, dos 72 veículos de primeira geração a serviço do Metro do Porto, apenas 40 circularam na última quinta-feira. É que a falta de funcionário da EMEF tem impossibilitado o arranjo de pequenas avarias em alguns comboios, enquanto outros têm de estar parados porque ainda não passaram pelas revisões obrigatórias para circular. O atraso também é justificado pelo facto de o Governo de Pedro Passos Coelho ter adiado as revisões por quatro anos após a entrada da “troika” no país.