O líder do PSD criticou a “má gestão” do Governo na área da saúde, denunciando que está fechada a unidade de cuidados intermédios pediátricos do Hospital de S. João, no Porto, porque “não se contratam três técnicos”.

“Aquilo que também me é dado a observar é que os hospitais não têm autonomia de gestão, ou seja, qualquer coisa que tenham que fazer têm que pedir autorização, mas essa autorização vai primeiro ao Ministério da Saúde, mas depois acaba sempre no Ministério das Finanças e esta burocracia também leva a ineficácias”, afirmou Rui Rio aos jornalistas, depois de visitar aquele Centro Hospitalar.

Rio apontou o exemplo de um serviço — cuidados intermédios pediátricos — “que está completamente instalado, com uns largos milhares de euros investidos, e a porta está fechada, não funciona, porque o Ministério das Finanças ainda não autorizou a contratação de três técnicos”.

“Isto é desperdício”, disse, sublinhando que a questão “não tem a ver com a verba, tem a ver com burocracia” e isso são “erros de gestão”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo Rui Rio, ao longo desta semana dedicada à saúde foi possível verificar “a situação cada vez mais difícil em que se encontra o Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

“Nós temos consciência que há subfinanciamento, nós temos consciência que há um enorme desperdício, nós temos consciência que há erros de gestão, nós temos consciência que há défice de investimento” bem como há défice de manutenção, défice de enfermeiros, défice de médicos e de que “no interior ainda falta mais do que no litoral. Portanto, fomos tomando consciência de todas estas situações e é efetivamente um problema grave que o país tem”, afirmou.

Para o social-democrata, “independentemente da componente estrutural que tem que ser resolvida, nos últimos dois anos há uma notória degradação dos serviços que se estão a prestar às populações em termos de saúde”.