Em Ostritz, uma pequena cidade alemã que faz fronteira com a Polónia, está neste momento a decorrer um festival de música rock que celebra o nascimento de Adolf Hitler. O festival, que se chama Schild und Schwert (as iniciais SS não são por acaso e a expressão, em português, significa “Escudo e Espada”) ao qual se deslocaram “várias centenas de neo-nazis, começou esta sexta-feira, 20 de abril — precisamente o dia do nascimento do ditador nascido na Áustria. Ao todo, até ao final de sábado, são esperados mais de mil neo-nazis no local.

Segundo a agência Reuters, está a ser vendido no festival “material de extrema direita”, incluindo t-shirts com o slogan “Eu <3 HTLR” (“Eu amo Adolf Hitler”) e brinquedos como tanques de guerra recriados. Entre os cartazes que ali se liam estavam slogans como “Irmandade Ariana” e um poster do partido de extrema direita NPD (Partido de Democracia Nacional da Alemanha) em que se pedia “creches em vez de campos de refugiados”.

O NPD, um partido abertamente xenófobo e anti-semita, está aliás envolvido na organização através do seu líder, Thorsten Heise. Em 2017, a legalidade do partido chegou a ser discutida na Alemanha mas, devido à sua “influência limitado e ao seu pequeno número de membros”, acabou por evitar uma proibição legal, refere o britânico The Guardian.

A polícia tem estado a acompanhar os acontecimentos do festival no exterior, levando a cabo rondas nas imediações, no interior do festival e na estação de comboios mais próxima. Uma pessoa de 31 anos terá sido detida por ter sido vista a fazer uma saudação nazi (“Heil Hitler”), o que é considerado ilegal.

A legalidade do festival tem sido discutida pela população local e pela população alemã, com os organizadores a escudarem-se na Constituição do país e na alegação de que o festival é um “evento político” para o manterem de pé. No festival, veem-se ainda t-shirts com os slogans “guardiões da raça”, “o branco é a minha cor preferida” e “o Adolf era o maior”, segundo o The Guardian. O que não se vê é álcool, garrafas de vidro, paus de bandeira ou raças de cães consideradas mais violentas, que estão expressamente proibidas.

[Algumas fotografias do festival:]

4 fotos

A contestação ao festival tem sido grande. Centenas de pessoas têm protestado pacificamente em zonas próximas. Entre elas estão cidadãos anónimos e políticos e figuras religiosas locais, que organizaram um festival pela paz nas imediações do Schild und Schwert. No centro da cidade de Ostritz, ouvem-se discursos em defesa da democracia e foi montado um circo e um café árabe, para mostrar que a cidade valoriza “o cosmopolitanismo, a tolerância, a democracia e a coexistência pacífica” entre cultures, noticia ainda o jornal inglês.

A organização de eventos musicais com bandas rock de extrema direita — que difundem mensagens de ódio durante as atuações -, como por exemplo concertos, é comum em vários países. O crescimento destes eventos para a dimensão de um festival, num país onde movimentos políticos de extrema direita têm ganho popularidade nos últimos anos (em especial o AfD, “Alternativa para Alemanha”, o terceiro mais votado do país, que se opõe abertamente às políticas de imigração de Angela Merkel), é um sinal que muitos veem como alarmante.