Perto de 60 civis, na maioria xiitas, foram mortos e 119 ficaram feridos num atentado suicida ocorrido este domingo na capital do Afeganistão, Cabul, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, segundo um novo balanço das autoridades. O Ministério da Saúde divulgou os números de 57 mortos e 119 feridos (o anterior balanço era de 48 mortos e 112 feridos), a grande maioria membros da minoria xiita hazara, regularmente alvo dos extremistas sunitas do Estado Islâmico.

Wahid Majrooh, porta-voz do ministério, disse que pelo menos 21 mulheres e cinco crianças estão entre as vítimas mortais, enquanto o total de feridos inclui 47 mulheres e 16 crianças.

O bombista suicida fez-se explodir à entrada de um centro de recenseamento eleitoral na zona oeste de Cabul, no bairro maioritariamente xiita de Dasht-e-Barchi. O último atentado em Cabul reivindicado pelo Estado Islâmico ocorreu a 21 de março e causou mais de 30 mortos e pelo menos 70 feridos.

Este foi o primeiro ataque em Cabul contra um centro de recenseamento eleitoral para as legislativas de 20 de outubro, desde o início do processo de recenseamento, a 14 de abril. Mas dois outros centros no país foram alvo de ataques a semana passada.

Na sexta-feira, um ‘rocket’ atingiu um centro de recenseamento na província de Badghis (norte), matando um polícia e ferindo outro, depois de na terça-feira três funcionários da Comissão Eleitoral e dois polícias terem sido raptados na província de Ghor (centro). Foram libertados 48 horas depois.

Estas legislativas são as primeiras no Afeganistão desde 2010, tendo o último escrutínio, as presidenciais, decorrido em 2014.

(Artigo atualizado às 17h17 )