Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A RM Sotheby’s vai levar a cabo mais um leilão, desta feita no Fórum Grimaldi, Mónaco, já no próximo dia 12 de Maio. Motivos de interesse haverá vários, mas o que mais se destaca é o facto de voltar à praça o primeiro Ferrari Sergio a sair para estrada, logo depois de ter sido exibido no stand da Pininfarina, no Salão de Genebra de 2015.

Conforme já aqui escrevemos, este superdesportivo integra o lote dos 10 carros mais caros do mundo, ou não tivessem sido produzidas apenas seis unidades do Ferrari que rende homenagem a Sergio Pininfarina, falecido em 2012 e filho do fundador do conceituado atelier de design italiano, Battista Pininfarina. O exclusivo roadster exibe um interior praticamente idêntico ao do 458 Spider, mas tem “alma” de 458 Speciale, contando com um V8 de 4497cc naturalmente aspirado, capaz de debitar 605 cv e impulsionar o Ferrari Sergio de 0 a 100 km/h em 3 segundos. Tudo isto e o facto de marcar menos de 200 km, ou seja, estar praticamente novo, levam a leiloeira a estimar que o modelo possa ser arrematado por um valor entre os 2,5 e os 3 milhões de euros.

Sabe quais são os 10 carros mais caros do mundo?

Por outro lado, e a título de curiosidade, refira-se que este exemplar terá tido como primeiro proprietário (não sabemos se único) o magnata nigeriano Aluko Kolawole, pois cada unidade produzida contava com uma placa com o respectivo número e o nome do dono. Ora as fotos agora divulgadas deixam ver que Aluko, empresário que se dedica ao negócio do petróleo e que está a ser investigado pelas autoridades dos EUA por fraude e lavagem de dinheiro, foi o primeiro a poder ir para a estrada com um Sergio. No caso em concreto, com o chassi número ZFF75VHB000205529.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR