A Câmara de Vila Velha de Ródão está a instalar uma rede de sensores para monitorização da qualidade da água no rio Tejo, projeto que ficará concluído até ao final de maio, foi anunciado esta segunda-feira.

“O livre acesso aos resultados é o aspeto mais relevante deste projeto. Este trabalho é um contributo muito positivo para a monitorização da qualidade da água do rio Tejo, fruto das preocupações com as questões ambientais que o município detém e que têm sido profusamente debatidas”, refere em comunicado o presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira.

O projeto consiste na instalação de uma rede de sensores para a monitorização remota e contínua da qualidade da água do rio Tejo, localizadas na zona da barragem de Cedilho, perto do cais de Vila Velha de Ródão e junto à barragem do Fratel.

A rede de sensores é constituída por três sondas, cada uma inclui cinco sensores físico-químicos relacionados com a qualidade da água, medindo aspetos como a concentração de oxigénio dissolvido, o nível de pH, a condutividade, o potencial de redução e a temperatura.

“O projeto estará concluído até ao final de maio e será possível acompanhar a evolução dos parâmetros de água do rio Tejo através do sítio da internet da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, onde serão disponibilizados gráficos com os valores medidos a cada dez minutos”, lê-se na nota.

A primeira sonda foi posta em funcionamento na quinta-feira, estando a implementação da rede a cargo de uma empresa tecnológica de Castelo Branco, em colaboração com o laboratório de análises de águas da Escola Superior Agrária (ESA) do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB).