Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há muito a dizer a propósito do I.D. Vizzion, que foi inicialmente revelado no Salão de Genebra, mas que deverá brilhar em Pequim, onde os veículos eléctricos têm uma procura muito superior à que alcançam na Europa. O Vizzion, o quarto modelo da gama eléctrica I.D., tem previsto surgir já preparado para a condução autónoma – talvez por isso, o concept nem tenha volante, apesar de tal poder acontecer no modelo de série –, o que não belisca minimamente as restantes características da berlina de grande porte, no que respeita ao espaço interior, mala e electrónica ao serviço do condutor e de todos os que se sentam lá dentro.

O I.D. Vizzion Concept monta dois motores eléctricos, um por eixo, alimentados por uma bateria com 111 kWh de capacidade, que alimenta os 306 cv. Isto garante-lhe uma rapidez na aceleração muito entusiasmante, com 6,3 segundos para ir de 0 a 100 km/h, para depois atingir uma velocidade máxima de 180 km/h. Quanto à autonomia, importante cada vez mais no reino dos automóveis eléctricos, aponta para 664 km, mas segundo o método NEDC, o que deverá cair para mais de 500 km se for utilizado o método WLTP, mais próximo da realidade.

Antes da sua apresentação naquele que é o maior mercado de modelos movidos a electricidade, a Volkswagen divulgou o Vizzion a circular, um pouco à semelhança do que fez com o I.D., num vídeo filmado em Lisboa. No novo filme, vê-se o Vizzion evoluir num ambiente urbano, o que permite ter uma ideia mais concreta sobre o design do produto. E parece muito mais atraente e próximo da realidade do que através das fotos já reveladas.

[jwplatform 6cCSPjoL]

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR