Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um casal australiano decidiu cancelar a viagem de férias a Bali mas o seu filho de 12 anos avançou para outra solução: foi ele, sozinho, para a ilha indonésia. O miúdo voou de Sydney para Perth, também na Austrália, e daí voou para Bali. Usou o cartão de crédito dos pais para reservar hotel e quando os funcionários lhe perguntaram porque estava sozinho respondeu, simplesmente, que estava à espera da irmã.

O caso, insólito, assemelha-se ao enredo do segundo filme Home Alone (Sozinho em casa), mas com duas diferenças importantes: em vez do céu enublado do inverno em Nova Iorque havia praias paradisíacas e, ao contrário da personagem interpretada por Macaulay Culkin, esta viagem não foi um acidente.

O miúdo australiano de 12 anos sabia bem o que estava a fazer: inconformado com o cancelamento das férias de família (e depois de discutir com a mãe por causa disso), o miúdo conseguiu enganar a avó levando-a a dar-lhe o passaporte dele. Depois disso, conseguiu obter os números do cartão de crédito e assim conseguiu reservar voos e hotel em Bali. Assegurou-se que não seria necessária mais documentação do que o passaporte e a identificação da escola (para algumas transportadoras, isso é suficiente, e eles escolheu uma em que assim fosse).

“Ele não gostou de ouvir a palavra não”, dizem os pais, que chamaram as autoridades quando o filho disse que ia para a escola mas acabou por nunca chegar às aulas. Na realidade, quando o alerta foi dado o miúdo já tinha chegado ao aeroporto de Sydney, fez check-in nas máquinas self service e conseguiu embarcar só com os documentos que levava consigo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O nome verdadeiro não foi revelado, por se tratar de um menor de idade, mas a imprensa está a referir-se ao miúdo como “Drew”, um pseudónimo. Segundo a televisão australiana Nine Network, uma televisão australiana, “Drew” só foi questionado uma vez, no aeroporto de Perth, onde fez escala — mas o miúdo conta que bastou responder que andava na escola e mostrar os documentos e ninguém colocou entraves a que embarcasse.

Chegado a Bali, conseguiu fazer check in dizendo que a irmã chegaria dentro de momentos e que queria entrar já para o quarto. Não se sabe ao certo quantos dias “Drew” esteve em Bali até que a sua localização foi detetada, presumivelmente através dos cartões de crédito. A mãe, Emma, voou imediatamente para Bali para encontrar o filho, são e salvo.

“Foi excelente, porque quis ter uma aventura”, explicou “Drew” numa das entrevistas que deu a programas de televisão australianos.