O Polestar 1 está já em adiantada fase de testes, que decorreram no Círculo Polar Árctico, no Norte da Suécia. Com temperaturas fortemente negativas (-25ºC) e sobre neve e gelo, o primeiro modelo da nova marca foi optimizado para rodar naquele tipo de piso, o que é fundamental para uma marca com sede na Suécia.

Segundo a Polestar, os ensaios do 1 visaram adaptá-lo à circulação em estradas escorregadias a uma velocidade muito acima do que recomendável – e até permitida por lei, sendo que a função dos fabricantes é prepararem os seus veículos para condições o mais extremas possível –, tendo o Polestar 1 rodado a 200 km/h sem revelar falta de equilíbrio, ou a obrigar o condutor a dotes de pilotagem acima da média.

De caminho, a Polestar tratou igualmente de seleccionar a melhor regulação de suspensão para que o veículo funcione de forma ideal naquele tipo de piso, tendo sido testadas cerca de 20 diferentes soluções de barras estabilizadoras, à frente e atrás.

[jwplatform jKmPJb5e]

Os nossos pilotos de testes forneceram-nos excelentes indicações, no que respeita ao comportamento e dinâmica, tendo nós ficado bastante contentes com o equilíbrio revelado pelo chassi, particularmente o proporcionado pelo vectorização do binário. É definitivamente um automóvel divertido de conduzir”, afirmou o CEO da Polestar, Thomas Ingelath.

O Polestar 1 vai continuar a ser testado durante o resto de 2018, noutros climas e noutras condições, além de estar exposto no Salão de Pequim, de 25 de Abril a 4 de Maio, com o fabricante a anunciar que já mais de 7.000 clientes confirmaram as suas encomendas do 1, contra um sinal de 2.500€.

O modelo, que recorre à mesma plataforma da gama 90 (S, V e XC) é um coupé de 4,5 metros de comprimento, com um motor a gasolina 2.0 Turbo na frente, a assegurar o movimento das rodas anteriores e dois motores eléctricos atrás, de 218 cv cada, ligados a cada uma das rodas posteriores. No modo mais desportivo, todos os motores trabalham em conjunto, fornecendo um total de 600 cv e 1.000 Nm de binário, força mais suficiente para assegurar um excelente nível de aceleração. Mas o principal argumento do 1 é a sua capacidade de circular em modo 100% eléctrico durante 150 km, um valor três vezes superior ao normal nos híbridos plug-in.

O Polestar 1 será fabricado na China, ao ritmo de 500 unidades por ano, e será “vendido” mediante um contrato a três anos, durante os quais o cliente, através de uma renda mensal, tem direito a um serviço tipo “tudo incluído” – carro, seguro, assistência e viatura de substituição.