Canadá

Polícia de Toronto revela mensagens no Facebook de autor do atropelamento

Alex Minassian, acusado da morte de 10 pessoas e da tentativa de homicídio de 13 outras no atropelamento de segunda-feira, colocou mensagens "encriptadas" no Facebook, minutos antes do incidente.

WARREN TODA/EPA

A polícia de Toronto revelou esta segunda-feira que Alex Minassian, acusado da morte de 10 pessoas e da tentativa de homicídio de 13 outras no atropelamento de segunda-feira, colocou mensagens “encriptadas” no Facebook, minutos antes do incidente. Pouco antes de ter entrado com a viatura numa rua movimentada de Toronto, Minassian inseriu um post na rede social Facebook, referindo-se a Elliot Rodger, um estudante de faculdade que matou seis pessoas e feriu 13 com tiros e facadas, perto da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, antes de se suicidar, em 2014.

Chamando Rodger de “o Senhor Supremo”, Minassian declarou: “A rebelião de ‘Incel’ já começou! Derrotaremos todos os ‘Chads’ e ‘Stacys’!” Rodger, de 22 anos, usou o termo “Incel” – termo para os homens que ficam sozinhos involuntariamente – em mensagens ‘online’ em fúria contra as mulheres por rejeitá-lo romanticamente, enquanto nos fóruns da Internet usa-se por vezes “Chad” e “Stacy” como gíria indiferente para homens e mulheres com vida sexual mais intensa.

O post do Facebook de segunda-feira, que a polícia canadiana confirmou ter sido colocado pelo autor do atropelamento, foi retirado pela rede social após o incidente, com a justificação de que “não há absolutamente lugar em nossa plataforma para pessoas que cometem atos tão horrendos”. Um juiz de Toronto decidiu esta segunda-feira levar a julgamento Alek Minassian, que não apresentou qualquer recurso nem contestou nenhuma das acusações e terá de comparecer em tribunal, para julgamento, a 10 de maio próximo.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, já excluiu como um ato terrorista o atropelamento numa rua de Toronto, que provocou dez mortos e 15 feridos. “A investigação prossegue, mas é muito claro que não há ligação com a segurança nacional”, afirmou Trudeau durante uma conferência de imprensa em Otava.

O primeiro-ministro acrescentou que “vai levar tempo” a entender as causas que motivaram o suposto autor, Alek Minassian, detido pouco depois, a decidir atropelar dezenas de pessoas na principal artéria de Toronto. Esta segunda-feira, o chefe de polícia, Mark Saunders, afirmou que o condutor da carrinha que subiu o passeio e causou as mortes atuou de maneira deliberada.

Já o ministro da Segurança Pública, Ralph Goodale, afastou a possibilidade de alargar a investigação para já, por considerar que se tratou de um ato isolado do condutor, um jovem de 25 anos oriundo do norte de Toronto. As fotos e vídeos da detenção mostraram um homem agressivo, que enfrenta um polícia empunhando o que parece ser uma pistola, ao lado de uma carrinha branca com a dianteira da carroçaria amolgada.

O incidente ocorreu quando Toronto acolhe uma reunião dos ministros da Segurança Pública do G7, depois de ter sido o anfitrião, durante o fim de semana, da reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos sete países mais industrializados do mundo (Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)