Os números de Cristiano Ronaldo ao intervalo em Munique pareciam deixar adivinhar que esta não seria mesmo noite para o português brilhar: em 45 minutos, teve apenas 13 ações com bola, um remate desenquadrado, dois dribles falhados e outros tantos foras de jogo. No entanto, com ele o melhor mesmo é não fazer previsões até ao final do jogo, não vá aparecer do nada mais um cabeceamento no segundo andar ou um pontapé de bicicleta. E essa ideia não esteve muito longe de acontecer: após receber um passe longo, o avançado dominou a bola e rematou certeiro cruzado de pé esquerdo, mas o golo foi anulado por ter controlado com o braço no início do lance.

Eles são tudo menos assunto lateral. E Marcelo explica porquê (a crónica do Bayern-Real Madrid)

Desta forma, o número 7 acabou por quebrar uma série de dez encontros consecutivos sempre a marcar na presente edição da Champions: Apoel (dois), B. Dortmund (dois), Tottenham, Tottenham, Apoel (dois) e B. Dortmund na fase de grupos, entre setembro e dezembro; bis em Madrid e mais um golo em França nos oitavos com o PSG, entre fevereiro e março; bis em Turim e mais um golo no Bernabéu nos quartos com a Juventus, em abril.

Em paralelo, Cristiano Ronaldo falhou a possibilidade de superar o melhor registo pessoal no que toca a jogos consecutivos a marcar pelo menos um golo, igualando os 12 conseguidos em 2014 (nessas 12 partidas tinha feito 20 golos, contra Córdoba, Atl. Madrid, Basileia, Deportivo, Elche, Villarreal, Ludogorets, Athl. Bilbao, Levante, Liverpool, Barcelona e Granada). Desta vez, as vítimas foram Real Sociedad, PSG, Betis, Alavés, Getafe, PSG, Eibar, Girona, Juventus, Atl. Madrid, Juventus e Athl. Bilbao, num total de 22 golos em 12 encontros.

Ainda assim, e como parece ser já uma regra instituída em termos de jogos europeus, o avançado acabou por conseguir bater mais um recorde: com o triunfo do Real Madrid em Munique, o português tornou-se o jogador com mais vitórias na Liga dos Campeões (96), ultrapassando neste particular o guarda-redes do FC Porto Iker Casillas (95). Seguem-se na lista Xavi (91), Raúl (79), Iniesta (79), Ryan Giggs (76) e Lionel Messi (73).

O feito aconteceu curiosamente no dia em que Cristiano Ronaldo igualou Xavi como o segundo jogador com mais encontros disputados na Liga milionária, 151, a 16 do recordista Iker Casillas (167).