O Ministério Público da Suécia pediu esta quinta-feira prisão perpétua para o homem que confessou ter conduzido um camião roubado contra transeuntes numa rua pedonal do centro de Estocolmo, há um ano, matando cinco pessoas e ferindo 14.

Tudo o que não seja perpétua está excluído. [Rakmat] Akilov é um perigo para a sociedade e vai continuar a ser enquanto mantiver a atitude que tem hoje”, disse o procurador do MP Hans Ihrman ao apresentar as alegações finais em tribunal.

Akilov, 40 anos, de nacionalidade uzbeque, é o único suspeito do ataque. Afirmou que queria castigar a Suécia por se juntar à coligação que combate o grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Foi acusado de homicídios terroristas e tentativas de homicídio pelo ataque de 7 de abril de 2017, que cometeu com um camião roubado. “Rakmat Akilov apropriou-se do direito de determinar o destino de tantas pessoas. Cabe agora ao Estado de direito democrático determinar o destino de Akilov”, disse o procurador.

Nos próximos dias, a defesa vai apresentar as suas alegações finais e o julgamento, que começou a 13 de fevereiro, deverá terminar na quarta-feira 2 de maio. Não foi avançada uma data para o anúncio do veredicto. As vítimas do ataque foram três suecos, entre os quais uma rapariga de 11 anos, uma belga e um britânico.