O Presidente da República, de visita à Ovibeja “livre” de formalismos, como já é hábito, deu esta sexta-feira beijos, tirou ‘selfies’, petiscou e até “cantarolou” a música “Prisão em Si”, num teste de som da banda Xutos e Pontapés. Quando decorria o teste de som do concerto que vai animar a primeira ‘Ovinoite’ da feira deste ano, em Beja, Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de cumprimentar a banda e de assistir, durante alguns minutos, ao ensaio.

Durante a canção “Prisão em Si”, o chefe de Estado, encostado ao gradeamento junto ao palco, cantarolou a música e aplaudiu a banda. À sua saída, “desviou” a atenção dos fãs no local, que deixaram de assistir aos preparativos do concerto quando lhe pediram para tirar ‘selfies’.

A participação no teste de som dos Xutos e Pontapés marcou o fim de uma visita de cinco horas ao certame, que começou por volta da hora do almoço, com um tributo ao “pai” da Ovibeja, Manuel Castro e Brito, que morreu em 2016. Marcelo Rebelo de Sousa descerrou a placa de atribuição do nome de Manuel Castro e Brito ao Parque de Feiras e Exposições de Beja, onde decorre o certame.

Seguiu-se a visita aos expositores do evento, nos vários pavilhões, a “passo de caracol”, porque o Presidente da República não resistiu a cumprimentar e a tirar ‘selfies’ com quase todos com quem se cruzou. “Adoro estar agarrada a ele”, disse uma visitante do certame, depois de um abraço ao chefe de Estado e a pose para a fotografia. “Para mim, é um prazer, mas tenho de partilhar com outros 10 milhões de portugueses”, respondeu Marcelo.

Mais à frente, um grupo de mulheres “acotovelava-se” para o mesmo “ritual”, enquanto outra, que esperava por elas, protestou: “Venham daí, tanta beijaria”. “Estás a ver, já beijámos o Marcelo, já ganhámos o dia”, vitoriou-se uma delas. Sem ter parado para almoçar na feira, o Presidente da República foi aproveitando as paragens nos expositores para petiscar, aqui e ali. Pão molhado em azeite ou com queijo e presunto e bolos, como os suspiros, como foram alguns dos produtos de eleição.

“Quer vir suspirar?”, perguntou Marcelo, em jeito de piada, ao ministro da Agricultura, Capoulas Santos, que o acompanhou na visita, juntamente com o comissário europeu Carlos Moedas. Questionado pelos jornalistas sobre se em Portugal se suspira muito, o chefe de Estado respondeu, em jeito de brincadeira: “Em Portugal, felizmente, agora suspira-se só por bons motivos e na Europa também. Estamos a suspirar de alegria, não de aflição”.

À semelhança do ano passado, Marcelo, entre outros produtos da região, voltou a levar para casa um presunto de porco de raça alentejana, que, desta vez, disse, será para partilhar com “os convidados que vêm aí”, as presidentes da Croácia e de Malta. “Valeu a pena não ter almoçado, senão não dava para ver tudo”, assinalou Marcelo Rebelo de Sousa.