Setenta anos depois da estreia do Land Rover no Salão Automóvel de Amesterdão, hoje foi contada a história de como um modelo prático, após o final da Segunda Guerra Mundial, cresceu até se transformar num dos 4×4 mais desejados do mundo, com 7 milhões de unidades vendidas.

O Land Rover é muito mais do que o todo-o-terreno mais capaz. Conseguiu unir muitas pessoas através da paixão pela aventura e apostadas em melhorar o nosso mundo”, afirma o CEO da Jaguar Land Rover.

Ralf Speth sublinhou que o construtor britânico “nasceu com o lançamento de um único modelo”, mas tem hoje um portefólio de SUV que materializa “o espírito pioneiro de inovação que caracteriza a Land Rover há sete décadas”.

A festa dedicou especial enfoque aos veículos e às pessoas que os conceberam e conduziram, contemplando a exibição do primeiro protótipo da Land Rover, do Range Rover original de duas portas e do Discovery de sete lugares.

Mas os modelos utilizados um pouco por todo o mundo, nas mais extraordinárias expedições, também subiram ao palco do Land Rover Classic Works em Coventry. Evoque e Velar marcaram igualmente presença, tendo sido revelado um dos três modelos de pré-produção que ainda existem desde a apresentação do Series I, em 1948, em Amesterdão. Essa unidade brilhou ao lado do seu mais recente irmão, o exclusivo Defender Works V8 de 405 cv, apresentado no princípio do ano. Veja aqui a cerimónia onde o Observador marcou presença:

Recorde-se que, conforme aqui demos conta, apenas serão produzidas 150 unidades do Defender Works V8, com cada exemplar a ser fabricado com as indicações especiais da equipa de engenheiros da Land Rover Classic.