Rádio Observador

Madeira

Sevenair pede exclusão da melhor classificada no concurso para ligação Funchal-Porto Santo

A Sevenair aponta ao júri do concurso público internacional, entre outras, a violação do número de frequências mínimas por parte da companhia aérea espanhola Binter em uma por dia.

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A companhia aérea Sevenair requereu esta segunda-feira a exclusão da concorrente Binter, que está à frente no concurso para a concessão da ligação aérea entre Funchal e Porto Santo, por “infração ao clausulado do caderno de encargos”.

“Após consulta da proposta da Binter, na plataforma saphety, foram detetadas infrações ao clausulado do caderno de encargos e que devem conduzir à sua exclusão, sob pena de ilegalidade do futuro ato de adjudicação”, refere em comunicado a Sevenair, que assegurou aquela ligação nos últimos três anos.

A Sevenair aponta ao júri do concurso público internacional, entre outras, a violação do número de frequências mínimas por parte da companhia aérea espanhola Binter em uma por dia, ou seja, 365 por ano, o que é “inferior ao mínimo de 517 frequências exigidas no caderno de encargos”.

Indica ainda que a Binter “não identifica na sua proposta uma aeronave específica para o serviço da linha, nem uma aeronave específica para o ‘back-up’ [plano B] da linha”. Considera também a proposta da Binter “confusa e enganadora”, frisando que não apresenta a “designação nominal das quatro tripulações afetas à linha” nem o “número ou percentagem dos membros da tripulação comercial (tripulação de cabina) que assegura as ligações que dominam a língua portuguesa”.

A companhia aérea espanhola Binter está à frente, por três pontos, no concurso público internacional para a concessão da exploração dos serviços aéreos regulares na rota Porto Santo-Funchal-Porto Santo, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo adiantou a mesma fonte, as três concorrentes — LFAS – Lease Fly Aviation Services SA, a Binter Canárias SA e a a Aero Vip – Companhia de Transporte e Serviços Aéreos SA (Sevenair) — foram informadas da decisão preliminar que opta pela proposta da companhia regional espanhola, decorrendo agora um período de audiência antes da decisão final.

A concessão, de acordo com o Diário da República de 3 de março de 2017, será pelo período de três anos, no valor de cerca de 5,6 milhões de euros. A Binter começou por ser uma companhia aérea regional espanhola, que opera desde 1989, primeiro ligando as Canárias e mais tarde aquele arquipélago a destinos internacionais.

A transportadora tem ligações entre as Canárias e o Funchal e Lisboa e, em 2016, começou a operar em Cabo Verde, através da Binter Cabo Verde, que assegura em exclusividade, desde agosto de 2017, os voos no arquipélago.

A portuguesa Sevenair, que detém atualmente esta concessão, anunciou esta segunda-feira que vai contestar o resultado do concurso público internacional, realçando que, ao longo dos últimos três anos, o serviço público de transporte aéreo entre o Porto Santo e Funchal “tem sido prestado cumprindo escrupulosamente o caderno de encargos que esteve na sua origem”.

“Em toda a duração de tempo da concessão não existiu um único incidente que possa ser apontado”, salientou, anunciando que a empresa, que foi notificada na sexta-feira, tem cinco dias para se pronunciar.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)