O chefe da diplomacia britânica, Boris Johnson, considerou hoje que as recentes afirmações do primeiro-ministro israelita sobre o Irão, sublinham a importância do acordo nuclear concluído em 2015.

“O discurso do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu sobre as pesquisas de armas nucleares do Irão mostra que precisamos do acordo nuclear. O acordo com o Irão não é baseado na confiança, mas em auditorias”, escreveu Johnson na rede social Twitter.

Enfatizando “a importância de manter as restrições” que constam do acordo, Johnson lembrou que as “provisões de uma auditoria (…) tornariam mais difícil para o Irão reiniciar a pesquisa” nuclear.

“Esta é outra boa razão para manter o acordo, enquanto o desenvolvemos, tendo em conta as preocupações legítimas dos Estados Unidos e dos nossos aliados”, acrescentou o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros.

Benjamin Netanyahu disse na segunda-feira que o seu país dispõe de “provas concludentes” sobre um programa secreto iraniano para obter armas nucleares.

O primeiro-ministro israelita assegurou que o seu Governo obteve “meia tonelada” de documentos secretos iranianos que provam a existência de um programa de armas nucleares.

No dia 12 de maio, o Presidente norte-americano, Donald Trump, decide sobre a eventual retirada dos EUA do acordo internacional com o Irão.