Se Donald Trump cumprir a sua ameaça, o Irão cumpre a sua e abandona o acordo nuclear. O aviso foi feito esta quinta-feira e o passo seguinte depende de os EUA se retirarem (ou não) do tratado no próximo dia 12 de maio. O presidente norte-americano apresentou esse deadline aos países europeus para que até lá encontrem um novo texto que remedie o que ele considerou serem “terríveis lacunas” no acordo de 2015. Caso contrário, os Estados Unidos batem com a porta, afirmou Trump.

“Se os Estados Unidos se retirarem do acordo nuclear, nós também não iremos continuar”, afirmou Ali Akbar Velayati. As declarações do conselheiro do Guia Supremo para os assuntos internacionais foram publicadas no site da TV pública iraniana.

Também o ministro iraniano Mohammad Javad Zarif deixou uma advertência aos Estados Unidos, num vídeo publicado esta quinta-feira no YouTube: “Se os Estados Unidos continuarem a violar o acordo ou o abandonarem, utilizaremos o nosso direito a responder à nossa maneira (…) As ameaças não aportarão um novo acordo aos Estados Unidos.”

Zarif também deixou claro que o Irão se recusará a renegociar o acordo ou a acrescentar-lhe algo.

“Durante o último ano, disseram-nos que o presidente Trump não estava contente com o acordo. E agora parece que a resposta de alguns europeus é oferecer mais vantagens aos Estados Unidos, tirando-as do nosso bolso”, afirmou, citado pela AFP.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As declarações do ministro iraniano surgem como resposta a Emmanuel Macron, presidente francês, e Angela Merkel, chanceler alemã, que defendem novas negociações para completar o acordo.