A empresa mineira brasileira Vale anunciou esta quinta-feira que registou em 2017, em Moçambique, um resultado líquido de 66,3 mil milhões de meticais (931 milhões de euros), mais 31% que em 2016.

Apesar dos ganhos que obteve em 2017, a empresa ainda está longe de recuperar o investimento e os recursos que aplicou no país, referiu o diretor financeiro da Vale Moçambique, Marcelo Tertuliano, em conferência de imprensa, em Maputo.

“Isso não significa que a companhia já esteja a gerar resultados líquidos satisfatórios para dar retorno aos acionistas”, declarou Marcelo Tertuliano.

Os proveitos aumentaram como resultado da variação cambial a favor do metical, do aumento do volume de produção de carvão e da respetiva subida de preço, assinalou Tertuliano. Devido à apreciação do metical, a Vale viu a sua dívida em Moçambique baixar 13%, para 456 mil milhões de meticais (6.400 milhões de euros).

No ano passado, prosseguiu Marcelo Tertuliano, as receitas da empresa em Moçambique atingiram 97,3 mil milhões de meticais (1.362 milhões de euros), aumentando 122% em relação a 2016.

Em termos de produção, a Vale alcançou 11,2 milhões de toneladas, face a 5,6 milhões de toneladas em 2016, como resultado do incremento na mina de Moatize II, a segunda da companhia na província de Tete, centro de Moçambique.

Em 2017, a companhia reduziu para metade o investimento nas suas duas minas de carvão em Moçambique, canalizando para a atividade 10 mil milhões de meticais (140,8 milhões de euros), acrescentou, face a cinco mil milhões de meticais (70,4 milhões de euros) em 2016.