O Real Madrid não vai fazer fazer a habitual guarda de honra – ou corredor, num vocabulário mais comum – ao Barcelona, na deslocação deste domingo a Camp Nou. E a decisão veio de Zinedine Zidane, o treinador dos merengues, que garantiu que os seus jogadores não irão fazer o comum pasillo à equipa catalã, que se consagrou campeã espanhola no passado fim de semana.

“Não lhes vamos dar o pasillo. É uma decisão minha. Na verdade, não entendo esta coisa do pasillo, pelo que não vai acontecer”, explicou o técnico francês durante a conferência de imprensa de antevisão do jogo de domingo.

Enquanto respondia aos jornalistas, Zidane recordou que o Barcelona teve exatamente a mesma atitude em dezembro, depois do Real Madrid ter vencido o Mundial de Clubes. Na altura, o emblema blaugrana justificou a decisão com o facto de o pasillo só acontecer quando os dois clubes disputaram a competição conquistada. Jordi Alba, lateral do Barcelona, foi o único jogador catalão que já respondeu à decisão de Zidane: o espanhol garantiu que, em situação idêntica, o Barcelona faria o pasillo ao Real Madrid. “O Barcelona já o fez com o Real no passado, até no Bernabéu. Mas cada equipa pode tomar a sua decisão, que deve ser respeitada”.

Jordi Alba referia-se ao ano de 2008, o último em que a guarda de honra entre os dois grandes rivais do futebol espanhol aconteceu. Naquela época, com o Real Madrid já matematicamente campeão, o Barcelona fez o pasillo no Santiago Bernabéu. Em 1991, os merengues fizeram o mesmo pelos catalães, na sua própria casa, enquanto os adeptos assobiavam o plantel blaugrana (que incluía Gary Lineker e Zubizarreta e era orientado por Aragonés) e em 1988 o Barça tinha feito o mesmo pelo Real em Camp Nou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Do lado do Real, foi Sergio Ramos a comentar a decisão de Zidane. E manteve-se do mesmo lado da barricada. “Estamos a dar demasiada atenção ao pasillo. Eles têm o título, que é o que queriam. O pasillo não significa nada para nós. Dissemos que não vai acontecer, pelo que não acontecerá. É isso”, afirmou o capitão merengue.

A verdade é que, este ano, a mensagem de parabéns do Real Madrid endereçada aos rivais pela conquista do campeonato ficou apenas pelo Twitter. Quando este domingo Messi, Suárez, Philippe Coutinho e companhia saírem do túnel de acesso ao relvado de Camp Nou, não vai estar lá nenhum corredor de camisolas brancas.