Angola

Angola exporta menos petróleo mas está a ganhar mais

Barris exportados estão cotados acima do previsto. Vendas totais do petróleo angolano ascenderam a mais de 8.350 milhões de dólares entre janeiro e março.

WU HONG/EPA

Angola exportou 136,2 milhões de barris de petróleo no primeiro trimestre, o que projeta uma revisão em baixa para 2018 em quantidade, mas com cada barril cotado acima do previsto, o encaixe fiscal excede já o esperado. De acordo com dados do Ministério das Finanças de Angola sobre a exportação e receita fiscal do setor petrolífero, compilados esta sexta-feira pela agência Lusa, as vendas totais do petróleo angolano ascenderam a mais de 8.350 milhões de dólares (6.800 milhões de euros) entre janeiro e março.

Na origem deste resultado está uma cotação média, por barril exportado, acima dos 61 dólares, quando as previsões do Governo angolano, no Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, estão fixadas em 50 dólares. Com a previsão do Governo, as vendas concretizadas deveriam ter ficado à volta dos 6.800 milhões de dólares (5.500 milhões de euros), nos primeiros três meses do ano.

Para todo o ano de 2018, as previsões do Governo no OGE apontam para a exportação de 620 milhões de barris de crude e um encaixe em receita fiscal a rondar os 2,399 biliões de kwanzas (9.000 milhões de euros). Nos primeiros três meses do ano, impulsionadas pela cotação do barril de crude acima do orçamentado, as receitas fiscais estão acima do esperado, tendo atingido os 701 mil milhões de kwanzas (2.640 milhões de euros).

A este ritmo, a produção deverá ser revista em baixa, em termos de quantidade, face às metas do Governo, mas com um maior volume de vendas e de receitas fiscais angariadas em 2018. Angola mantém-se como segundo maior produtor de petróleo em África, com 1,6 milhões de barris de crude por dia.

O acordo entre os países produtores de petróleo, com vista a reduzir a produção para provocar o aumento da cotação do barril de crude, está a influenciar este resultado, com a quebra no volume do petróleo garantido por Angola. Em termos de receitas fiscais com a venda de petróleo, o Governo angolano previa angariar no ano passado, inicialmente, cerca de 1,695 biliões de kwanzas (9.100 milhões de euros, à taxa de câmbio de 31 de dezembro de 2017). Contudo, acabou por arrecadar, segundo dados do Governo, 1,615 biliões de kwanzas (8.670 milhões de euros, à taxa de câmbio de 31 de dezembro de 2017) nos 12 meses, pelo que falhou a meta orçamentada, por cerca de 400 milhões de euros.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)