O piloto Miguel Oliveira vai estrear-se no Mundial de MotoGP já na próxima temporada, em 2019. De acordo com a Sport TV, foi o próprio português que deu a novidade esta sexta-feira em Jerez de la Frontera, em Espanha, onde o piloto da KTM ficou em quinto na sessão de treinos livres.

O anúncio oficial deve acontecer em breve e, caso se confirme, Miguel Oliveira será o primeiro piloto português a competir na principal categoria de motociclismo: sem esquecer Felisberto Teixeira, que em 1998 competiu no Grande Prémio de Espanha na categoria máxima da altura, 500cc.

As notícias de que Miguel Oliveira tinha várias propostas para subir ao MotoGP já em 2019 começaram a surgir desde o princípio do ano. Esta quinta-feira, os rumores tomaram contornos mais sérios quando o diretor da equipa Tech 3 admitiu a “forte possibilidade” de o português de 23 anos ser um dos pilotos da formação satélite da KTM no Mundial de 2019 de MotoGP.

“A posição da nossa equipa é clara. Foi isso que discutimos e planeámos e é também o objetivo da KTM: nós somos a equipa ‘júnior’. A KTM ofereceu ao Miguel Oliveira a possibilidade se subir ao MotoGP com a Tech 3, com o apoio total da KTM de fábrica. Nada está concluído, há muitas possibilidades, mas a dupla [Hafizh] Syahrin-Oliveira é uma forte possibilidade. Ainda assim, nada está concluído. Mas se tiver de dizer dois nomes esta tarde, são o Oliveira e o Syahrin”, revelou Hervé Poncharal ao site oficial do MotoGP.

De acordo com o site Motosport, o contrato entre o atual piloto da Red Bull KTM Ajo e a francesa Tech 3 já terá mesmo sido assinado e a oficialização do acordo prende-se por poucas horas. Na principal categoria de motociclismo, Miguel Oliveira vai cruzar-se com o ídolo Valentino Rossi. “Estive no rancho dele em Itália. Perguntava-me várias vezes porque me dava atenção, ele é o deus dos deuses das motos. Tem-se mantido no topo. Com todos os títulos e vitórias há algo especial nele que o faz querer ir mais além”, contou em entrevista.

Miguel Oliveira tem 23 anos e está atualmente no quarto lugar da classificação geral de Moto2, tendo já ficado em terceiro lugar em dois dos primeiros três Grandes Prémios da temporada. O piloto português, natural de Almada, ficou na época passada na terceira posição, tendo conquistado nove pódios e três vitórias.

O piloto teve a primeira grande experiência em 125cc pela Aprilia, em 2011. Um ano depois, passou para a Suter Honda (a partir daqui em Moto 3), seguindo-se a Mahindra Racing, fazendo história ao conseguir o primeiro pódio de sempre da equipa na Malásia, a 13 de outubro. Dois anos depois, muda-se para a Red Bull KTM Ajo e tem a melhor época de sempre, com seis triunfos, três segundos lugares e o vice-campeonato de Moto 3 com 254 pontos.