O Presidente palestiniano, Mahmud Abbas, desculpou-se esta sexta-feira publicamente, depois de as suas declarações sobre as causas dos massacres perpetrados contra judeus no passado terem sido alvo de críticas por serem consideradas antissemitas. “Se as minhas declarações no Conselho nacional palestiniano ofenderam as pessoas, sobretudo as pessoas de confissão judaica, peço-lhes desculpa”, escreveu Abbas num comunicado onde reafirma condenar o Holocausto e “o antissemitismo em todas as suas formas”.

Abbas atraiu um inusitado e consensual coro de críticas por parte de israelitas, norte-americanos, europeus e das Nações Unidas devido às declarações que fez na passada segunda-feira, sugerindo que os massacres sofridos pelos judeus europeus ao longo da História se deviam menos ao antissemitismo do que ao seu papel na sociedade, nomeadamente no setor bancário. “Queria assegurar a todos que essa não era a minha intenção (ofender) e reafirmar o meu respeito pela religião judaica, bem como por todas as religiões monoteístas”, disse Abbas.