Alex Ferguson foi operado de urgência este sábado, depois de ter sofrido um derrame cerebral, avançam os media britânicos. O técnico escocês estava afastado dos relvados desde 2013, quando deixou o Manchester United, a sua casa desde 1986.

A última aparição pública de Ferguson foi no passado domingo, durante a homenagem ao treinador francês Arsène Wenger, no decorrer do jogo entre o Manchester United e o Arsenal. Um comunicado do antigo clube do treinador escocês refere que a cirurgia “correu muito bem”, mas ressalva que Ferguson “precisa de um período de cuidados intensivos” para que a recuperação decorra sem problemas.

Esta manhã, por volta das 9h, foi pedida uma ambulância para a morada do antigo treinador, em Cheshire, escreve o The Telegraph. Depois de chegar ao hospital de Macclesfield, Sir Alex Ferrguson foi transferido para o Salford Royal, onde foi submetido à intervenção cirurgica.

Também treinador, o filho de Ferguson, Darren, falhou a última partida da sua equipa, o Doncaster, para acompanhar a evolução clínica do pai. Em comunicado, a equipa refere que o técnico não acompanhou os jogadores “devido a razões familiares”, sendo substituido por Gavin Strachan. “Darren pede privacidade e vai fazendo a atualização” do estado de Ferguson durante a semana, sempre através do clube.

Na última aparição em público, o antigo treinador, atualmente com 76 anos de idade, Ferguson confessou-se “orgulhoso de ter sido um rival, colega e amigo”de Wenger. Aos comandos do ManUnited — que agora joga sob a batuta de José Mourinho –, Ferguson conquistou 38 troféus, incluindo 13 Premier League e duas Ligas dos Campeões.

Foi também o escocês quem, a meio de um amigável Manchester United-Sporting, a 6 de agosto de 2003 (o dia em que se estreava o novo Estádio José Alvalade), deu ordem para que Cristiano Ronaldo fosse contratado aos leões.

Beckham, Carrick, van der Sar. Jogadores mostram apoio a Ferguson

Um dos maiores nomes que pisou os relvados com a camisola do United, David Beckham já reagiu à notícia. No Instagram, o antigo capitão do clube e da seleção de Inglaterra pediu a Ferguson que “continue a lutar”. A forma como se dirige ao seu antigo treinador é a mesma usada por Ronaldo: “Boss”, ou chefe. A acompanhar a mensagem, uma fotografia de quando o ainda muito jovem Beckham assinou pelo clube de Manchester. Ao seu lado, já nesse momento, estava Alex Ferguson.

Também Michael Carrick, um dos capitães do clube inglês e que chegou a ser treinado por Ferguson, enviou a sua mensagem. “Devastado” com a notícia da intervenção, Carrick enviou os seus “pensamentos e orações” para o técnico e sua família.

Outra reação. Van der Sar, antigo guarda-redes do ManUnited, também “devastado” com a notícia de que o antigo técnico foi operado de urgência. “Mantenha-se forte” para poder “recuperar” da intervenção, diz o guardião, que ao longo de 266 jogos (entre 2005 e 2011) defendeu as redes do clube.

Outros nomes vão-se juntado à onda de apoio ao técnico escocês.