“Quero agradecer a confiança em mim, na minha equipa técnica, agradecer a Deus e desculpem a minha emoção por falar dos meus pais, que estarão felizes onde estão e a olhar com muito orgulho pelo trajeto. Depois de três meses difíceis a tentar que fosse jogar para o FC Porto, deixou-me aqui e assinei contrato. Acabei por perdê-lo no dia a seguir. As pessoas podem achar que o FC Porto foi buscar um ex-jogador de raça, determinado, mas sei que tenho qualidade no meu trabalho. Vamos ser exigentes, rigorosos e disciplinados no dia a dia para no fim dar a toda a massa adepta a alegria dos títulos. Foi por amor ao clube que vim e estou convencido que em maio vou conseguir estar feliz e deixar os portistas felizes. Os meus pais vão ficar ainda mais felizes por ganhar títulos. E para os que não acreditam, vou provar que estamos aqui para trabalhar da melhor forma e com resultados”, referiu Sérgio Conceição na primeira intervenção como treinador do FC Porto.

Já está: Sérgio Conceição oficializado como novo treinador do FC Porto

“O treinador não sou só eu, há mais treinadores, o departamento médico e uma estrutura que está de parabéns. Queria também dar uma palavra ao presidente. Tinha dito que no fim da época havia duas pessoas que estariam muito contentes, os meus pais. Este título é para eles, estou muito feliz. Não é fácil levar um barco destes para a frente e foi um ano fabuloso para mim. Sou a pessoa, o líder que dá a cara mas há muita gente de parabéns”, destacou o técnico nas primeiras palavras como campeão.

“Foi uma mistura de sensações incrível. Nos primeiros dois ou três minutos, comovi-me porque me lembrei deste percurso bonito, fantástico mas muito difícil com dois rivais muito fortes e posteriormente um terceiro, o Sp. Braga. Tenho de agradecer a todo o FC Porto, sobretudo aos jogadores que foram grandes obreiros porque não é fácil. Não sou um treinador fácil, a minha liderança é exigente, de rigor e trabalho, com valores que são importantes para mim. Juntámos tudo, raça, querer e muita qualidade individual. Obrigado aos meus jogadores por me terem aturado este ano. Agradeço também à minha equipa técnica, com um simples olhar já nos conhecemos. Depois, a toda a estrutura, homens da relva, departamento médico, roupeiros, terapeutas que dão um contributo fantástico, a toda a gente da comunicação. Depois, ao engenheiro e ao presidente, que me deu a possibilidade de me trabalhar neste clube, que me permitiu viver tudo isto de forma apaixonada”, completou o técnico mais tarde ao Porto Canal, elogiando também a “sintonia e simbiose” com os adeptos azuis e brancos.

FC Porto. O que se passou durante as duas semanas que levaram à coroação de Sérgio como técnico

“O momento para o arranque desta conquista foi a assinatura de contrato do Sérgio Conceição como treinador e a apresentação que fizemos no Dragão. Aquilo que ele transmitiu desde o primeiro momento, de confiança, de amor ao FC Porto e de determinação foi decisivo e a partir daí nunca tive dúvidas de que íamos conseguir isto. Todos os jogadores, com maior ou menor participação, foram importantes e profissionais exemplares. Ficarei sempre com eles no coração”, comentou Pinto da Costa nas declarações iniciais após quebrar o maior jejum sem títulos desde 1982.

“Primeiro quero agradecer a todos os que tornaram possível que ao fim de 36 anos de presidente do FC Porto pudesse festejar mais um título nacional. Os adeptos, os sócios e claques tiveram um papel importantíssimo e para eles um grande abraço. Acima de tudo, tenho de destacar o papel de Sérgio Conceição e da sua equipa técnica e bendita a hora em que fiz esta aposta consciente que ele nos havia de levar à conquista do título. Ele é o grande vencedor, a principal mola que impulsionou todo este mar azul e vão para ele as minhas palavras. Os atletas, com uma classe ímpar conseguiram concretizar em realidade o sonho que ambos tivemos desde a primeira hora em que nos encontrámos para assinar contrato. Para todos um grande abraço, assim como para quem trabalhou no clube, principalmente no futebol, ao Luís Gonçalves que teve um trabalho pouco visto mas fantástico. Estamos todos, do Porto e da região, todo o país a reconhecer o mérito da vitória do FC Porto. Quando trabalhamos e fazemos tudo para ganhar, não o faço por mim porque já venci muitos títulos, mas pela felicidade que a gente que tem vida difícil está a ter, mais feliz do que os que têm tudo. É para esses que trabalho dia a dia e dou o meu melhor. Quero que desfrutem e gozem esta noite e as que se vão seguir porque o FC Porto é campeão contra muita gente”, acrescentou.