Canadá

Costa convida primeiro-ministro canadiano a visitar Portugal

166

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que convidou o seu homólogo canadiano, Justin Trudeau, para visitar Portugal por ocasião da Websummit, em novembro.

JOSÉ COELHO/LUSA

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que convidou o seu homólogo canadiano, Justin Trudeau, para visitar Portugal por ocasião da Websummit, em novembro, e prometeu que o seu Governo introduzirá melhorias graduais nos serviços consulares portugueses.

António Costa encerrou em Montreal a sua visita oficial de cinco dias ao Canadá da mesma forma como a iniciou em Otava na quarta-feira, com um encontro com as comunidades portuguesas.

No seu último discurso antes de regressar a Lisboa, o líder do executivo português passou a mensagem de que se aprofundaram agora as relações lusocanadianas e que convidou o primeiro-ministro do Canadá para visitar Portugal.

“Tive a oportunidade de convidar o primeiro-ministro [Justin] Trudeau para visitar Portugal, porque quero continuar do outro lado do Atlântico a estreitar esta relação que agora iniciámos. Fiquei muito sensibilizado pela forma carinhosa como ele olha para a comunidade portuguesa”, declarou, num primeiro elogio ao seu homólogo canadiano.

António Costa contou depois o que aconteceu na sexta-feira, ao fim da tarde, em Toronto, quando, após uma tempestade de vento, o edifício em que se realizaria o encontro com a comunidade portuguesa ficou sem luz.

Uma situação que levou o corpo do serviço de segurança canadiano a desaconselhar a presença de Justin Trudeau nesse evento.

“Mas ele fez questão de ir, cumprimentando com abraços e beijos cada um e cada uma dos membros da nossa comunidade numa zona em que havia luz natural”, relatou o primeiro-ministro português.

Na sua intervenção, o líder do executivo nacional também prometeu melhorar a eficiência dos serviços consulares após anos em que o país esteve sob resgate financeiro.

“Portugal viveu uma crise económica grande, que teve consequências, designadamente na capacidade que o país teve de prestar melhores serviços consulares, mas, felizmente, virámos essa página e estamos agora a crescer, a criar emprego, com défice e finanças públicas controladas. Vamos poder começar a melhorar cada vez mais também a qualidade dos nossos serviços consulares”, disse, recebendo palmas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filosofia

Democracia e formas simbólicas /premium

Paulo Tunhas

O estudo da história do pensamento político recorda-nos o retorno maciço do pensamento mítico com o nazismo, alertando para o perigo de uma única forma simbólica se apoderar de todas as restantes.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)