Face ao expectável condicionamento da entrada de veículos nas cidades, os fabricantes automóveis estão empenhados não só em desenvolver modelos mais amigos do ambiente, mas também em conquistar clientes através de novas soluções de mobilidade. Enquanto uns apostam no car sharing, outros no ride sharing, ride hailing ou afins, eis que a Ford sinalizou um potencial interesse em desenvolver um veículo que parece extraído do universo da ficção, ao melhor estilo de Batman: um carro com uma moto eléctrica integrada.

O pedido de registo de patente deu entrada a 18 de Outubro de 2017 e foi agora dado a conhecer pelo United States Patent and Trademark Office, num documento em que a engenhosa solução é dissecada nas imagens que pode ver na fotogaleria. Os desenhos mostram como é que uma scooter eléctrica se pode integrar na estrutura de um Ford C-Max, para depois, sempre o condutor assim o entenda ou necessite, retirá-la e seguir viagem em duas rodas. Estranho? Isto ainda não é nada…

A moto está entre os assentos dianteiros, com o respectivo assento a fazer parte daquilo que habitualmente é o túnel de transmissão, enquanto a frente faz parte da consola central, levando a crer que o tradicional ecrã do sistema de infoentretenimento fará de painel de instrumentos do motociclo. Guias de fixação permitem manter a scooter (com as rodas elevadas) dentro do carro, mas basta levantar o capot para que, com recurso a um sistema eléctrico ou hidráulico, a moto seja extraída ou “reintegrada” no automóvel. Para evitar acidentes, essa operação só pode ser efectuada com o carro ligado, fornecendo a energia necessária, mas sem que o motor esteja a trabalhar. De acordo com a Ford – com a scooter instalada no seu local original, ou não -, o carro consegue deslocar-se graças a um motor montado na traseira, ou através de motores eléctricos instalados nos cubos das rodas.

Ora, como se todas estas “habilidades” não roçassem já o delírio, a marca norte-americana ainda menciona a possibilidade de uma das rodas do motociclo poder dar um empurrãozinho ao C-Max. Isto tem tudo para funcionar. Ou talvez não…