O Governo timorense preparou um plano operacional para ajudar estudantes que estão em universidades ou escolas em Díli a viajarem para os municípios onde estão recenseados a tempo de votar nas eleições legislativas antecipadas de sábado.

Foram preparadas 28 viaturas que vão deslocar-se na sexta-feira para praticamente todo o país, com saídas previstas de três pontos em Díli, segundo o plano operacional a que a Lusa teve acesso. Além das viaturas, o Governo prevê igualmente o apoio a estudantes que tenham que viajar para Oecusse e que partirão na tarde de quinta-feira no navio Nakroma. Quem tiver que viajar para a ilha de Ataúro, terá disponível o navio Laju Laju, que se deslocará na sexta-feira de manhã.

Na segunda-feira, o ministro da Administração Estatal, Valentim Ximenes, escreveu aos reitores do ensino superior e aos diretores do ensino secundário para dar a conhecer a iniciativa do Governo. Na carta, Valentim Ximenes explicava que o Governo decidiu no início deste mês preparar transporte para ajudar estudantes recenseados a regressar aos seus locais de registo para poderem votar no sábado.

Assim, o Estado tem disponíveis transportes por terra para os municípios do país e por mar para a ilha de Ataúro e para o enclave de Oecusse-Ambeno. Ainda que a lei permita alterar o registo eleitoral, muitos habitantes em Díli preferem não o fazer, continuando recenseados nos seus municípios de origem.

Por isso, e como normalmente acontece em atos eleitorais, o Governo concedeu tolerância de ponto a todos os funcionários públicos a 11 de maio. A tolerância de ponto é de três dias — 10, 11 e 14 de maio — para o caso dos funcionários públicos que estejam recenseados na Região Administrativa Especial de Oecuse-Ambeno (RAEO).

Ao anunciar a decisão, o Governo pediu aos responsáveis dos estabelecimentos de ensino público e privado que promovam “equivalente dispensa do dever de assiduidade dos estudantes recenseados na RAEO que se encontrem a estudar fora daquela região”, para que também possam votar.

O acesso à RAEO, por estrada ou por mar, é mais complexo que para outros locais do país, obrigando a um período mais longo de viagem.

Oito partidos e coligações concorrem às eleições legislativas antecipadas. Estão recenseados para votar 787.761 eleitores, mais 22.903 do que os que estavam habilitados a votar nas eleições legislativas de 22 de julho do ano passado, o que representa um aumento de cerca de 3%.

No que se refere aos centros de votação, a nível nacional vão ser instalados um total de 1.151 estações de voto divididas por 876 centros de votação que, por sua vez, vão ser instalados nos 452 sucos (equivalente a freguesias) do país.

Fora do país, haverá três centros de votação na Austrália — Darwin, Melbourne e Sydney –, um em Seul, na Coreia do Sul, dois em Portugal (Lisboa e Porto) e três no Reino Unido: Dungannon, Londres e Oxford. A campanha termina a 9 de maio, seguindo-se dois dias de reflexão antes da votação, que decorre entre as 7h e as 15h de sábado, 12 de maio.