Venezuela

Presidente do Supremo da Venezuela no exílio envia cartas para detenção de Maduro

Miguel Angel Martin enviou cartas ao comando militar e policial da Venezuela pedindo a detenção de Maduro por alegado envolvimento num caso de corrupção, relacionado com a Odebrecht.

O Supremo Tribunal de Justiça venezuelano decidiu, na semana passada, a "suspensão" de Maduro como presidente

Miguel Gutiérrez/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) da Venezuela no exílio, Miguel Angel Martin, enviou esta quarta-feira cartas ao comando militar e policial venezuelano pedindo a detenção do presidente Nicolas Maduro por alegado envolvimento num caso de corrupção. O caso está relacionado com a empresa brasileira Odebrecht, e Martin disse que as cartas derivam de uma resolução daquele tribunal, datada da semana passada, que “declara a suspensão” de Maduro como presidente e a sua desqualificação para exercer cargos públicos no âmbito da investigação.

Nas cartas enviadas ao ministro da Defesa, Vladimir Padrino Lopez, e ao diretor do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin), Gustavo Gonzalez Lopez, o presidente do STJ “legítimo” insta-os a deterem Maduro como “medida preventiva”. Na resolução, os magistrados já tinham solicitado à Guarda Nacional Bolivariana para deter Maduro.

Em março, o mesmo tribunal admitiu uma ação da ex-procuradora-geral Luísa Ortega (também exilada) na qual Maduro é acusado de crimes de corrupção relacionados com a construtora Odebrecht. A denúncia de Ortega relaciona-se com “pagamentos feitos a funcionários públicos e empresas fantasmas por parte da construtora” brasileira.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)