O acesso ao conhecimento sobre nutrição na sociedade de informação é tema do I Congresso Internacional de Nutrição e Alimentação, que se realiza esta quinta e sexta-feira em Lisboa, onde são esperados mais de 1.700 participantes.

A organização da iniciativa, que decorre no Centro de Congressos de Lisboa, está a cargo da Associação Portuguesa de Nutrição (APN).

À Lusa, a presidente da APN, Célia Craveiro, explicou que, além de uma “troca de experiências de boas práticas”, o congresso pretende debater de que forma as novas tecnologias de comunicação, como as redes sociais, podem ser usadas a favor dos nutricionistas para transmitir a informação mais correta.

Célia Craveiro admitiu que os nutricionistas têm dificuldade em ‘passar a mensagem’, em “simplificar aquilo que não é simples” e lembrou que num mundo cada vez mais ávido de informação, e de forma rápida, nem sempre essa informação é filtrada.

A nutrição e a alimentação têm suscitado um “enorme interesse” nas pessoas, mas, segundo Célia Craveiro, há “muita desinformação”. No congresso será abordada também a nutrição personalizada, a rotulagem e o ‘marketing’ alimentar e apresentado o novo método de etiquetagem de alimentos pré-embalados em França, o NutriScore. O método, que avalia um alimento do menos ao mais favorável no plano nutricional numa escala de cinco cores e cinco letras, visa facilitar a compreensão da informação nutricional afixada nas embalagens.