O lucro da EDP caiu 23% para 166 milhões de euros no primeiro trimestre de 2018, em relação ao período homólogo, penalizado por “alterações regulatórias adversas em Portugal”, anunciou esta quinta-feira a empresa liderada por António Mexia.

Em comunicado ao mercado, a elétrica explica que, sem eventos não recorrentes, o resultado líquido teria caído 5% no primeiro trimestre, uma vez que “o crescimento da EDP Renováveis e da EDP Brasil foi mais que compensado pelas alterações regulatórias adversas em Portugal”.

Nos eventos não recorrentes com impacto nas contas, a EDP aponta a contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE) em Portugal e a provisão do impacto em resultados referente ao segundo semestre de 2017, correspondente à diferença entre o ajustamento final dos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) reconhecido em 2017 e o homologado em 03 de maio (no valor de 13 milhões de euros).