Quim Torra pediu desculpa pelos tweets xenófobos e ofensivos, que publicou em 2012 nas redes sociais, e que vieram a público depois de Carles Puigdemont ter o designado como seu sucessor na presidência da Catalunha. Em entrevista à TV 3, a primeira desde o anúncio de Puidgemont, Torra lamentou que a sua trajetória professional fosse posta em causa de tweets publicados há seis anos e que alguém se tenha sentido ofendido por eles, porque não era essa a sua intenção, cita o El Mundo.

Na quinta-feira, pouco depois de Puigdemont ter anunciado a renuncia ao cargo de presidente da Catalunha e designado Quim Torra como candidato a sucedê-lo, começaram a surgir nas redes sociais alguns dos comentários xenófobos que o editor de 55 anos fez no Twitter em 2012.

“Os espanhóis da Catalunha são como a energia: não desaparecem, transformam-se”

“O fascismo dos espanhóis que vivem na Catalunha é infinitamente patético e repulsivo”

“Franceses e espanhóis partilham o mesmo conceito de aniquilar as nações que vivem nos seus Estados”

São esta algumas das frases de Torra recuperadas pelos utilizadores e reunidas pelo jornal El Mundo.

A investidura de Torra está marcada para as 12h (11h em Lisboa) deste sábado. Se o advogado e editor catalão não conseguir a maioria absoluta requerida para a eleição, terá de ser feita uma segunda votação, que decorrerá a 14 de maio. Este é o cenário mais provável, uma vez que o partido de extrema-esquerda CUP parece estar inclinado em abster-se. O JxCat de Puigdemont e a Esquerda Repúblicana da Catalunha (ERC) não têm a maioria absoluta necessária no Parlamento catalão.

Se for investido como presidente, Torra — que muitos acreditam ser apenas uma marioneta nas mãos de Puidgemont — irá procurar impulsionar o processo constituinte e revertar os efeitos da aplicação do Artigo 155. Na mesma entrevista à TV 3, o catalão admitiu que pretende cirar uma comissão para “investigar as consquências” desta aplicação, que permitiu ao governo espanhol interferir na autonomia da região, e trabalhar no sentido de recuperar todas as leis catalãs suspensas pelo Tribunal Constitucional espanhol.