Música

Tony Carreira promete “revelações surpreendentes” em livro de memórias

318

O cantor, com a carreira em pausa na sequência das acusações de plágio, vai lançar um livro de memórias no próximo dia 18 de maio, prometendo fazer revelações surpreendentes sobre a sua vida.

Gerardo Santos / Global Imagens

Tony Carreira vai lançar um livro de memórias onde promete fazer “algumas revelações surpreendentes”. Intitulado O Homem que Sou e editado pela Contraponto, o livro chega às livrarias no dia 18 de maio.

Num comunicado enviado aos jornalistas a editora explica que “em Homem que Sou, Tony Carreira partilha as recordações do menino que cresceu num casebre sem água canalizada nem eletricidade, do rapaz que emigrou para ganhar a vida como operário fabril e do homem que conseguiu tornar-se músico de sucesso”.

“Neste livro, Tony Carreira revisita sucessos e aventuras, mas fala também sem rodeios de desencantos, contradições e fragilidades”, garante ainda a editora.

Recorde-se que o cantor anunciou em março uma pausa na sua carreira, depois da polémica em torno das acusações de plágio em várias das suas músicas. Tony Carreira e o compositor Ricardo Landum são acusados de ter plagiado músicas de vários compositores estrangeiros para criar alguns dos maiores êxitos do cantor português.

A Companhia Nacional de Música apresentou queixa formal e o caso chegou a tribunal, com a juíza a propor um acordo para a suspensão provisória do processo durante quatro meses, na condição de, no prazo de 60 dias, o cantor entregar 10 mil euros à Câmara da Pampilhosa da Serra, para apoio aos danos causados pelos incêndios, e mais 10 mil euros à Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande.

Com o anúncio de que a Companhia Nacional de Música não vai recorrer da decisão do Tribunal da Instrução Criminal de Lisboa, que afastou a editora do processo, abriu-se a porta à concretização desse acordo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filosofia

Democracia e formas simbólicas /premium

Paulo Tunhas

O estudo da história do pensamento político recorda-nos o retorno maciço do pensamento mítico com o nazismo, alertando para o perigo de uma única forma simbólica se apoderar de todas as restantes.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)