A SpaceX lançou esta sexta-feira a partir do Cabo Canaveral, na Califórnia, o Block-5, a nova versão do Falcon 9. O foguetão foi lançado às 21h14 (hora de Portugal Continental) e levava a bordo um satélite de comunicações do Bangladesh. O Block-5 devia ter saído da Califórnia na quinta-feira, mas um problema técnica detetado a um minuto do lançamento fez com que a missão fosse adiada um dia.

Minutos depois de cumprir a missão de deixar o satélite no espaço, o foguetão voltou à Terra, aterrando numa base no Oceano Pacífico. O Block-5 foi projetado para ser usado pelo menos 1o vezes, e também para que o tempo entre missões seja o mais curto possível. Assim, é possível fazer voos de forma mais frequente e a um custo mais baixo. Esta é, aliás, uma das chaves do modelo de negócio da SpaceX, a empresa de Elon Musk — também dono da Tesla.7

Espera-se que o Block-5 seja o primeiro foguetão da SpaceX a satisfazer os padrões do programa de viagens espaciais da NASA. Antes de conseguir o certificado para a realização de missões tripuladas , o Block-5 terá que fazer sete voos com sucesso.