Ainda no ano passado estávamos por cá a celebrar os tão famosos e portugueses três Fs: “futebol” porque o Benfica tinha sido tetracampeão, “Fátima” porque o Papa veio celebrar o centenário das aparições e “fado” porque a balada de Salvador Sobral tinha ganhado o Festival Eurovisão da Canção. Um ano depois, no entanto, os três Fs transformaram-se: o fado mantém-se porque Ana Moura e Mariza estiveram no Altice Arena para começar o programa, mas o “fogo” dominou o espetáculo de três países e as “falhas de segurança” arruínaram a performance do Reino Unido.

Até o desfecho foi diferente: Portugal regressou ao fundo das tabelas e ficou em último lugar, mesmo jogando em casa, com apenas 39 pontos. E Israel, que Salvador Sobral tanto tinha criticado pela música “que é fogo de artifício”, conquistou a maior soma de pontos da Eurovisão 2018. Isaura e Cláudia Pascoal foram derrotadas para casas, enquanto Netta agradece ao público “por aceitar a diferença”.

[Veja no vídeo quem é Netta Barzilai, a vencedora da Eurovisão]

Era o ponto final do maior concurso de música pop da Europa. Para trás ficava uma final atribulada: primeiro porque as decisões permaneceram renhidas até ao fim; e depois por causa da invasão de palco que foi um protesto pela saída no Reino Unido da União Europeia. Todos os momentos altos foram recolhidos em imagens pelo fotógrafo do Observador João Porfírio. E estão na fotogaleria.