Oito produções de teatro e uma de dança preenchem a 64.ª edição do Festival Internacional Clássico de Mérida, a decorrer na capital da Estremadura espanhola, de 29 de junho a 26 de agosto.

“Não nasci para odiar, mas para amar” é a peça portuguesa, produzida e dirigida pelo ator e encenador Tiago Vieira, a apresentar no certame. A peça será primeiro representada no Museu do Teatro Romano de Lisboa, antes de ser levada a Mérida, a 27 de julho, ao Templo de Diana, anunciou esta segunda-feira o diretor do festival, numa cerimónia realizada no Teatro Romano, em Lisboa.

Jesús Cimarro, que dirige o festival há sete edições, disse estar “feliz e honrado” por o programa deste ano voltar contemplar uma produção portuguesa em Espanha. “Espanha e Portugal têm largos anos de intercâmbio cultural, e o intercâmbio através do teatro é de extrema importância para estes dois países ibéricos”, frisou.